Revista <i>Life</i> vai deixar de ser publicada em versão impressa

A Time Inc. anunciou nesta segunda-feira, 26, que vai deixar de publicar a Life, a revista fotográfica ícone que é vendida semanalmente como encarte de jornal desde 2004. A última edição impressa da Life sairá em 20 de abril, mas o nome da publicação vai sobreviver na internet, disse em comunicado a Time Inc., que é uma unidade da Time Warner Inc. A Life é a mais recente revista a ser fechada, enquanto cada vez mais leitores abandonam as publicações impressas para buscar notícias e fotos online. "O crescimento requer que se assumam riscos, e as vantagens potenciais eram imensas, mas, infelizmente, o timing funcionou contra nós," disse a executiva-chefe da Time Inc., Ann Moore. "O mercado mudou de maneira dramática desde outubro de 2004, e hoje já não é apropriado continuar a publicar a Life como suplemento de jornal." A Time vai demitir 15 funcionários editoriais e 27 de seu departamento comercial em conexão com o fechamento da revista, disse sua porta-voz Dawn Bridges. "Obviamente vamos tentar colocar o maior número possível desses profissionais em cargos da Time Inc.," disse ela. Milhões de imagens A empresa pretende manter o editor administrativo Bill Shapiro, a editora executiva Maggie Murphy, o presidente Andy Blau e o publisher Peter Bauer, disse ela. A Life já teve mais de uma vida desde que começou a ser publicada pela Time, em 1936. A revista foi fechada em 1976, mas voltou em 1978 antes de ser fechada novamente em 2000. A Time vai disponibilizar online o acervo de 10 milhões de imagens da Life, com "a mais importante coleção de imagens cobrindo os fatos e as pessoas do século 20" sendo disponibilizada para uso pessoal gratuito, disse a empresa. O público nunca viu mais do que 97% do acervo, que inclui fotos feitas por Alfred Eisenstaedt, Margaret Bourke-White e Gordon Parks, disse a Time. O anúncio foi feito depois de a empresa ter lançado uma versão redesenhada de seu semanário noticioso americano Time. No início deste ano a companhia anunciou planos de cortar 289 profissionais de sua força de trabalho, estimada em 11.300 pessoas, para cortar custos, enquanto investe mais na internet.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.