Revista dá alternativa aos sem-teto

Uma publicação cultural, política e social, com entrevistados instigantes, temas alternativos e, além de tudo, movida por uma boa causa. A Revista Ocas, que acaba de chegar à sua terceira edição, é fruto de um projeto que busca tirar da condição de marginalizados pessoas que vivem nas ruas ou em albergues.A revista, mensal, é feita por jornalistas voluntários, mas quem a vende são os próprios sem-teto. Com o dinheiro das vendas, eles podem dar novos rumos à sua vida e garantir um trabalho, ao ampliar seu estoque comprando mais revistas. "Queremos realizar um trabalho social mais amplo e a Revista Ocas é um instrumento para isso", diz Alderon Costa, um dos fundadores da entidade Rede Rua, que tem como desdobramento a entidade Organização Civil de Ação Social (Ocas).Sem fins lucrativos, a Ocas mantém atualmente cerca de 120 moradores de rua inscritos, sendo 45 deles fixos. "Os voluntários do projeto vão às ruas e albergues, explicam nossa proposta para os moradores de rua e os convidam para uma reunião", explica Costa. Aqueles que aceitam o trabalho são cadastrados, recebem colete com o logotipo da Ocas e um crachá. Devidamente uniformizados, instalam-se então em pontos movimentados da cidade, como as avenidas Paulista e Faria Lima e proximidades do Shopping Center Norte, e lá vendem as revistas, a R$ 2,00 cada uma."Na primeira vez, eles ganham cinco revistas de graça. Depois de vendê-las, podem voltar à entidade e comprar mais exemplares", comenta. "O importante é que criem um capital de giro." Eles trabalham no dia e no local que desejarem. A cada revista vendida, embolsam R$ 1,50 e os R$ 0,50 restantes cedem para o projeto Ocas, como uma maneira de ajudar sua manutenção.Segundo o fundador da Rede Rua, a Revista Ocas, além de gerar renda, envolve questões como responsabilidade. "Muitos deles se entusiasmaram", conta. "Há histórias de pessoas que conseguiram alugar um quarto, que reencontraram a família." Quem quiser conhecer mais sobre as atividades e objetivos da duas entidades basta acessar: www.ocas.org.br e www.rederua.org.br.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.