Revista australiana pede desculpas a príncipe Harry

Publicação reitera que não sabia do embargo sobre a missão do herdeiro britânico no Afeganistão

REUTERS

10 de março de 2008 | 09h06

Uma revista feminina australiana pediu desculpas nesta segunda-feira, 10, por quebrar o silêncio mundial da imprensa quanto à participação do príncipe Harry nas tropas no Afeganistão, o que forçou o terceiro herdeiro do trono britânico a abandonar a linha de frente. "Não sabíamos que estávamos rompendo nenhum embargo e não participávamos de nenhum acordo de silêncio sobre a história", disse a revista New Idea em curta nota em sua última edição. "Entretanto, e isso é a coisa mais importante, nós sabemos que a publicação da história pode ser vista, com razão, como insensível e irresponsável", disse a revista. Harry, 23, foi apressadamente retirado do Afeganistão no mês passado, depois de apenas 10 semanas na linha de frente, devido ao receio britânico de que a notícia de sua presença poderia acarretar riscos a ele e a seus companheiros. A revista New Idea, que costuma publicar reportagens sobre a família real britânica com frequência, disse que não foi "alertada sobre as possíveis ramificações" da publicação da notícia de que Harry estava no Afeganistão.  "Nós nos arrependemos deste sério lapso de julgamento", disse a revista. "Nós sinceramente pedimos desculpas a todos os nossos leitores, para os soldados cujas vidas estão em risco constantemente enquanto servem em casa ou em outros países e às suas famílias e entes queridos".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.