Revelado: Falsificações e erros em obras de arte

Por Isabel Coles

REUTERS

05 de julho de 2010 | 11h02

LONDRES, 2 de julho (Reuters Life!) - Um Botticelli, um Rembrandt e um Holbein, todos falsificados junto com outras obras ilegítimas, falsificadas e erradas foram investigadas na última exibição na Galeria Nacional de Londres.

"Close Examination: Fakes, Mistakes and Discoveries" (Exame de Perto: Farsas, Erros e Descobertas) explora a arte de forjar e sua detecção na primeira exposição desse tipo, na qual 40 obras que foram examinadas pelo departamento científico da galeria serão expostas.

"Cerca de 40 por cento da coleção de cerca de 2.500 pinturas da Galeria Nacional foi submetido a alguma forma de exame técnico", disse o diretor de pesquisa científica da galeria, Ashok Roy, por email à Reuters.

Geralmente, historiadores de arte, cientistas e restauradores ficam por trás da cenas. Mas "Close Examination" revela a habilidade do departamento de pesquisa científica da galeria, considerada uma liderança mundial no estudo de materiais e técnicas de pinturas da Europa Ocidental.

Métodos científicos modernos como imagens de infravermelho, raio-X, microscopia eletrônica e espectrometria de massa ajudaram a responder perguntas que atormentaram os curadores da galeria durante anos.

A exposição consiste de seis salas: Ilusão e Fraude; Transformações e Modificações; Erros; Segredos e Enigmas; Redenção e Recuperação e uma sala focada em Botticelli.

A exposição estará na Galeria Nacional até o dia 12 de setembro.

Mais conteúdo sobre:
ARTEFALSOSEXIBE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.