Sérgio Guerra/Divulgação
Sérgio Guerra/Divulgação

Retratos dos povos Hereros de Angola

Exposição no Museu Afro Brasil reúne cem imagens do fotógrafo pernambucano Sérgio Guerra

Camila Molina, O Estado de S.Paulo

12 Maio 2011 | 00h00

O Museu Afro Brasil, no Ibirapuera, inaugura hoje, às 19h30, a mostra Hereros Angola, com cerca de cem imagens realizadas pelo fotógrafo pernambucano Sérgio Guerra a partir de sua relação de 15 anos de proximidade com o país africano. As imagens, que destacam a cultura dos povos hereros, habitantes, principalmente, da região sudeste de Angola, fazem parte de série que já se transformou em livro, lançado em 2010, e outra mostra, exibida em 2009 em Luanda e Lisboa.

A exposição de Sérgio Guerra integra a programação comemorativa do museu dedicada ao Ano Internacional dos Povos Afrodescendentes, declarado pela Assembleia Geral das Nações Unidas. As fotografias da mostra são uma seleção diferente dos materiais anteriores, feita com curadoria do diretor do Afro Brasil, Emanoel Araújo, centram-se nos retratos coloridos recentes que o pernambucano realizou enquanto conviveu com os integrantes da etnia, no Deserto do Namibe. Mais ainda, Hereros Angola exibe vestimentas, adereços, objetos e vídeos com depoimentos de homens, mulheres e jovens. Também há uma instalação tecnológica que projeta imagem de mulher do grupo muhakaona revelando a língua da etnia.

"Eles fazem comércio, já frequentam escolas, consomem álcool, locomovem-se entre a aceitação e a recusa de tudo isso. Desde o século passado, pelo menos, eles já mantinham contato intenso e compulsório com a sociedade moderna e com o homem branco", já afirmou o fotógrafo publicitário e produtor cultural, que, vivendo em Salvador, desenvolve desde 1998 programa de comunicação para o Governo de Angola.

Em seu livro, ainda, ficamos sabendo que os hereros são pastores polígamos e seminômades, criadores de gado, e preservam, por séculos, seus rituais. Apesar de Sérgio Guerra ter se centrado nos moradores de Angola, a etnia, atualmente, conta com cerca de 240 mil pessoas, que se dividem também por Namíbia e Botsuana.

SÉRGIO GUERRA

Museu Afro Brasil. Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, Parque do Ibirapuera, tel. 3320-8900. 10 h/ 17 h (fecha 2ª). Grátis. Até 24/7.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.