Retrato de Mao feito por Andy Warhol bate recorde em leilão

Um retrato do líder comunista chinês Mao Tse-Tung executado por Andy Warhol foi vendido nesta quinta-feira por US$ 17,376 milhões num leilão, estabelecendo um recorde mundial para o artista americano conhecido como o rei da pop art. A obra foi adquirida no leilão de arte contemporânea e do pós-guerra realizada na casa Christie´s pelo empresário Joseph Lau, de Hong Kong, um dos homens mais ricos do mundo segundo a revista Forbes. Mao deixou para trás retrato da diva Marilyn Monroe Mao (1972), é a obra mais importante e representativa de Warhol vendida em leilão em mais de uma década. Irônico, o artista combina a imagem de um "deus comunista", como divulgada pelo aparelho de propaganda controlado pelo Governo chinês, com a estética e decadência da cultura de massas americana que marca a sua arte. Warhol foi um visionário. Estava convencido de que o rosto ameaçador do comunismo teria, com o tempo, um atrativo inevitável e perverso para o colecionador capitalista. Segundo os especialistas da Christie´s, "a entrada da obra no mercado é notavelmente oportuna, dada a crescente atividade do mercado de arte asiático e a concorrência intensa entre os colecionadores por obras universalmente aclamadas dos principais artistas contemporâneos". O anterior recorde de Warhol, de US$ 17,327 milhões, havia sido obtido pela Sotheby´s, em 1998, pela venda de sua serigrafia sobre tela Marilyn Laranja. Outra versão da mesma série foi vendida nesta quarta feira pela Christie´s por US$ 16,2 milhões. O valor estimado era de até US$ 15 milhões. A obra foi realizada imediatamente após a trágica morte de Marilyn Monroe, em 1962, como uma representação da musa como produto pré-fabricado da cultura midiática. Preços de obras de Warhol duplicaram entre 2003 e 2005 Outra obra de Warhol, Dezesseis Jackies (1964), foi comprada pela galeria Richard Gray, com sedes em Nova York e Chicago, por US$ 15,6 milhões. Os preços de Warhol em leilão duplicaram entre 2003 e 2005. No ano passado, o total de suas obras em leilão alcançou um preço de venda de US$ 87,5 milhões, de acordo com o site www.artprice.com. O leilão de Christie´s incluiu a pintura abstrata de Willem de Kooning Sem Título XXV (1977), vendida por US$ 27 milhões, um recorde tanto para o artista quanto para qualquer obra de arte contemporânea em leilão. Outro recorde foi o de Clyfford Still, por sua obra 1947-R-No.1 (1947), que atingiu US$ 21,2 milhões. No total, a venda atingiu US$ 239,7 milhões, sendo quase US$ 60 milhões em obras de Warhol. Entre os compradores, 64,8% foram americanos, 15,5% europeus, 9,9% asiáticos e 9,8% de outras regiões.

Agencia Estado,

16 Novembro 2006 | 13h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.