Resumo da arte espanhola chega a São Paulo

Os montadores estão trabalhando a pleno vapor na Pinacoteca do Estado para colocar em pé uma das mais esperadas exposições do ano. Com 103 obras de vários artistas, a exposição De Picasso a Barceló pretende ser um resumo bastante sedutor da arte espanhola do século 20. Indiscutivelmente, a grande atração do evento é Pablo Picasso, o grande mestre da arte do século 20. Mas há também outros destaques na seleção, como Dalí, Miró e Tapis.A exposição, que veio de Buenos Aires, é dividida em três diferentes núcleos. O primeiro deles discute o período que vai do início do século até o início da 2.ª Guerra Mundial, marcado pelo surgimento do cubismo e do surrealismo, movimentos que eclodiram em Paris, mas que têm em suas origens os dois grandes nomes da arte moderna espanhola. O segundo bloco, que tem Tapis como grande figura, refere-se ao período referente à Guerra e à longa noite do franquismo. Como conclusão, são apresentados ao público os trabalhos de artistas contemporâneos, pouco conhecidos no País, como Miguel Barceló.Ao todo são 73 artistas ocupando uma vasta área da Pinacoteca, o que faz com que cada artista esteja representado apenas por alguns poucos trabalhos, selecionados pela curadora Maria José Salazar, chefe de coleções do Museu Reina Sofía. É desse museu que provêm a maioria das obras, mas algumas vieram do acervo da Telefônica, empresa patrocinadora do evento. A iniciativa de trazer ao Brasil e levar à Argentina esse panorama da arte espanhola foi de Frances Marinho, produtora que já trouxe ao País mostras importantes como Esplendores de Espanha - De El Greco a Velázquez.A grande estrela do evento, segundo os organizadores, é a tela Cabeça de Mulher, de Picasso. Pintada em 1910, a obra foi comprada recentemente pelo Reina Sofia de uma galeria suíça por US$ 10 milhões, o que justifica a parafernália de segurança, com nove viaturas policiais, usada para transportá-la do aeroporto até o museu.A montagem, que obedece a cenografia idealizada por Daniela Thomas, vai seguir-se ao longo de todo o fim de semana, já que a segurança dessas obras exige um cuidado redobrado. Após chegarem ao museu, elas devem continuar em sua embalagem de origem por 24 horas, por causa da pressurização do avião, e são analisadas uma a uma para verificar se sofreram algum prejuízo durante a viagem. A exposição como um todo está avaliada em US$ 500 milhões.De Picasso a Barceló - Pinacoteca do Estado de São Paulo, Praça da Luz, São Paulo. Tel: (11) 229-9844. De terça a domingo, das 10h às 17h.Ingressos a R$ 5 e R$ 2 para estudantes. Entrada franca às quintas. Telefone para visitação escolar: 0800 106666.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.