Restauradora descobre farsa em estátua de imperador romano

Tracey Sweek encontrou fio de gesso que escondia sutura entre cabeça e o resto da estátua de Adriano

Ansa,

09 de junho de 2008 | 16h40

Uma famosa estátua do imperador romano Adriano (76 d.C. - 138 d.C), representado vestindo uma toga ao estilo grego, e que por muitos anos significou uma prova de sua paixão pela cultura helênica, revelou ser falsa. Tracey Sweek, ex-escultora e restauradora, foi quem desvendou a farsa quando, limpando a obra - que deveria fazer parte da mostra Adriano: Império e Conflito, no British Museum - , descobriu um fio de gesso que escondia a sutura postiça entre a cabeça de Adriano e o resto da estátua. Thorsten Opper, curador da mostra, disse ter ficado "arrasado" quando viu as pregas do busto continuarem sob a seção da cabeça, o que comprova que os dois fragmentos não poderiam nunca ter feito parte de uma única peça. Segundo o museu, a cabeça, essa sim original, teria sido encaixada em um corpo de estátua produzido há aproximadamente 150 anos. "Senti-me muito mal por uns 20 minutos, pois estávamos destruindo uma das obras mais amadas, mas é para isso que existem os museus, para contar as coisas como foram", disse Opper ao jornal inglês The Guardian.

Tudo o que sabemos sobre:
imperador romano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.