Resoluções

Vou usar fio dental depois de cada refeição e me esforçar para promover a paz mundial, não necessariamente ao mesmo tempo. Vou organizar meus livros e LPs em ordem alfabética, jogar fora minha coleção de minhocas e parar de ligar o chuveiro para a mãe pensar que eu estou tomando banho enquanto fico sentado na tampa da privada lendo gibi. Vou...

Luis Fernando Verissimo, O Estado de S.Paulo

02 de janeiro de 2011 | 00h00

Espera um pouquinho. Esta é uma lista de resoluções de ano-novo antiga. Onde está a lista deste ano?

Vou tomar coragem e pedir a D. em namoro. Vou contar pra ela o que eu faço todas as noites antes de dormir só pensando na pintinha que ela tem em cima do lábio, mas com todo o respeito. Vou desenterrar as minhas revistas de nudismo suecas e tocar fogo para não ficar tentado a trair a D. com nenhuma outra mulher, nem na imaginação. Vou tentar melhorar em matemática, comer mais verdura e...

Também não é esta!

Está decidido, este será o ano da minha independência. Vou sair de casa, cortar todos os laços que me prendem à família e viver pelos meus próprios meios, desde que o velho concorde em dar uma ajuda. Plano para o ano-novo: me aperfeiçoar no "twist". Ler mais. Deixar o gibi.

Também não.

Devo me tornar uma pessoa mais interessante. Talvez deixar crescer o cabelo e usar jeans apertados. Sair de casa, desta vez para valer. Dedicar-me a assuntos sérios, como geopolítica ou percepção extrassensorial. Escolher um. Adotar uma atitude mais serena e filosófica diante dos infortúnios e de comentários jocosos, afinal futebol não é tudo na vida. Controlar o peso.

Também não é a lista deste ano!

Ler Marx para pelo menos saber do que se trata. Decorar algumas frases, como "É preciso ver isso holisticamente..." para usar em conversas. Tentar encontrar Deus, ou pelo menos uma mulher que preencha os mesmos requisitos. Cuidar do açúcar, do colesterol e das más companhias..

Esta também não.

***

Finalmente, encontrei! Minha lista de resoluções para o ano de 2011. São dez.

1 - Chegar ao ano 2012.

2 - Tentar, mais uma vez, ler A Montanha Mágica.

3 - Fazer exercício.

4 - Encontrar maneiras originais de justificar a falta de exercício.

5 - Sair da frente da televisão e redescobrir que há vida além do controle remoto.

6 - Só acreditar na vitória do Internacional no próximo mundial de clubes quando ele estiver vencendo a final por três gols faltando um minuto para terminar o jogo.

7 - Contatar a Soledad Villamil para discutir maneiras de estreitarmos os laços Brasil-Argentina sem dar muito na vista.

8 - Aprender a dançar tango, se não for tarde demais.

9 - Ouvir mais Gustav Mahler e Guinga.

10 - Usar fio dental depois de cada refeição e me esforçar para promover a paz mundial, não necessariamente ao mesmo tempo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.