Repórter passa 24 horas assistindo o "Big Brother"

Além dos R$ 500 mil para quem resistir por mais tempo na casa do Big Brother, a Globo deveria instituir algum prêmio para aquele que agüenta ficar por mais tempo na frente da tevê acompanhando o programa. Não é uma tarefa fácil. Para concluir a missão de assistir ao BBB 4 por 24 horas ininterruptas, eu consumi sete cafés, três latas de refrigerante, uma meia dúzia de barrinhas de cereal e alguns pacotes de biscoito. Tudo isso fora o rápido almoço, aproveitando um dos intermináveis momentos de monotonia que o programa proporciona. Mesmo sabendo que nada de excepcional aconteceria durante minha breve ausência da frente da tevê, dei uma olhada em sites de fofoca para saber se havia perdido alguma coisa. Não. Estava tudo na mesma. Minha maratona começou exatamente à 0h de terça-feira, dia de paredão, quando ´flagrei´ uma conversa entre Géris, uma das ´emparedadas´, e Marcela. Só após uns vinte minutos descobri que estava assistindo ao canal Replay do pay-per-view. Coloquei então no canal certo, que passava o programa ao vivo, e, como já era de se esperar, a cena era a mesma - a não ser pela presença de Juliana no bate-papo. Poucos minutos depois, todos já estavam dormindo - com exceção de Dourado, isolado no quarto do líder, que folheava um livro. O relógio marcava duas e meia da manhã quando resolvi seguir os passos do lutador e saquei um romance de D. H. Lawrence da gaveta para passar o tempo. Finalmente Dourado dormiu e eu pude me concentrar mais no livro, dando apenas uma olhada na tevê de tempos em tempos. Já passava das 4h quando caí no sono. Sucumbi sob meu edredom e acabei cochilando. Mas o descanso não durou mais de meia hora. Acordei com a esperança de que pudesse acontecer algo na TV - principalmente por parte do sonâmbulo Rogério. A espera durou até 6h45, quando o líder acordou. Fez um pouco de ioga e foi para o jardim. Em seguida, Buba levantou e os dois ingressaram num papo ´filosófico´ sobre relacionamentos amorosos. Marcelo voltou a dormir e Buba sentou, sozinho, num canto do jardim. O martírio durou até 10h30, quando a direção do programa resolveu acabar com a mordomia dos dorminhocos e colocou uma música no último volume. A partir daí, seguiu-se muito papo furado, cantoria na cozinha, musculação... Só lá pelas seis horas da tarde o cenário mudou um pouco, quando as mulheres começaram a se arrumar no quarto. Banho, maquiagem, chapinha no cabelo com ferro de passar roupa etc. E foi assim até a hora em que o programa entrou ao vivo em rede aberta, para eliminar uma das ´emparedadas´, às 22h15. Tirando uma ou outra conversa interessante e algumas brincadeiras divertidas, o BBB desta terça-feira fez a extinta Guerra do Sono, da Globo, parecer brincadeira de criança. Pelo menos para este brother aqui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.