Renato Borghi repassa história do teatro brasileiro

Um passeio pela história do teatro com humor, casos saborosos, reflexão, contextualização, visão de conjunto. Assim promete ser Borghi em Revista, que estréia hoje no Centro Cultural Banco do Brasil, em sessão exclusiva para convidados. Embora seja um balanço da carreira do ator, diretor e dramaturgo Renato Borghi, o espetáculo não tem como proposta o tom confessional autocentrado. Pelo contrário. Com auxílio de slides e vídeos - serão exibidas, por exemplo, cenas importantes de montagens como Galileu, Galilei e Roda Viva -, Borghi pretende relembrar boa parte da história do teatro brasileiro.Borghi pertence à geração que, em fins da década de 40, iniciou a renovação do teatro brasileiro, a partir da influência de diretores europeus que fugiam da 2.ª Guerra. Em pouco mais de dez anos, jovens artistas estudaram e aprenderam a encenar com beleza e rigor os clássicos da dramaturgia universal, na década de 50, e fizeram essa história avançar, na década de 60, em grupos como o Oficina e o Arena. Fundador do Oficina, Borghi foi ator-chave de duas montagens que sintetizam essa passagem - Pequenos Burgueses, de Gorki, e O Rei da Vela, de Oswald de Andrade, ambas dirigidas por José Celso Martinez Corrêa.Borghi em Revista, de certa forma, propõe a ligação entre antigos e novos grupos. "Acho que será um espetáculo agradável de ser ver, como uma Revista. No mínimo, é uma prestação de serviço ao teatro e uma homenagem às gerações anteriores à minha, que me ensinaram a amar essa arte", disse Borghi em entrevista ao Estado.Borghi em Revista - Direção e roteiro de Élcio Nogueira Seixas. De quinta a sábado, às 20 horas; domingo, às 19 horas. R$ 15,00. Centro Cultural Banco do Brasil, Rua Álvares Penteado, 112, tel. 3113-3651. Até 6/6. Estréia hoje, somente para convidados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.