Renata Pallottini lança Teatro Completo na Livraria Cultura

Poeta, dramaturga, escritora de novelas, roteirista de TV, Renata Pallottini declara a certa altura de sua biografia lançada na Coleção Aplauso: "Neste momento, o que está me encantando, empolgando e fazendo pensar é a edição do meu teatro completo. Estou trabalhando com a Editora Perspectiva na publicação de um livro que vai trazer todo o meu teatro até este momento; são 21 peças, desde que eu estreei em 1965. Nós vamos incluir até mesmo textos anteriores que eu havia guardado e que depois refiz."Pois bem, nesta segunda-feira, a partir das 18h30, Renata Pallottini autografa na Livraria Cultura o alentado volume de seu Teatro Completo, lançado pela Perspectiva, editora que com seus mais de 200 títulos sobre artes cênicas segue sendo uma das mais importantes na área teatral. E a autora tem motivos para estar feliz. O livro sai com o número de peças planejado, acrescido de um longo prefácio assinado pela crítica do Estado Mariangela Alves de Lima, além de ensaios como O Teatro de Renata Pallottini: 1ª Fase, de Elza Cunha de Vicenzo, e A Anarquia Organizada de Renata Pallottini, de Elzbieta Szoka. E mais: quem quiser conhecer o pensamento de Pallottini sobre sua obra pode adquirir, também, o livro a ela dedicado na Coleção Aplauso: Renata Pallottini Cumprimenta e Pede Passagem, por Rita Ribeiro Guimarães.Paulistana, graduada em Direito pela famosa Faculdade do Largo de São Francisco, e também em Filosofia pela PUC, Pallottini fez na juventude uma viagem de estudos para a Espanha, onde ficou um ano. Ali se apaixonou pelo teatro que viu e, na volta ao Brasil, em 1961, ingressou na EAD para estudar dramaturgia. Durante o curso, escreveu a comédia O Crime da Cabra, encenada pela companhia da atriz Nydia Licia em 1965. E a estreante ganhou os prêmios Molière e Governador do Estado, dois dos mais importantes da época. A leitura dessa peça mostra na jovem autora um grande domínio na criação de diálogos e talento para fazer rir sem apelação.O Crime da Cabra e mais duas outras peças escritas por Pallottini antes mesmo de viajar para a Espanha podem ser lidas em seu Teatro Completo. Não por acaso, muitos outros prêmios viriam depois dessa estréia feliz, tanto no teatro como em outras artes, entre eles o Jabuti de poesia, em 1996. Entre outras coisas, ela foi roteirista do programa Vila Sésamo, escreveu episódios da série Malu Mulher e novelas como O Julgamento, inspirada em Crime e Castigo, de Dostoievski.Importante para uma visão do conjunto da obra, a publicação de seu teatro completo tem também o mérito de ampliar o conhecimento sobre peças que fizeram sucesso, mas não circularam pelo Brasil. É o caso de Colônia Santa Cecília, que aborda os conflitos internos e a pressão externa sobre a colônia anarquista fundada no Paraná e tem uma linguagem muito especial - toda em versos livres. Encenada por Ademar Guerra na década de 80 em Curitiba, com figurinos de Maria Bonomi e atores paranaenses - entre eles Luís Melo -, é uma das preferidas da autora. "Uma montagem que ficou na minha cabeça e no meu coração; uma alegria, uma festa. Para o meu gosto foi a mais bem-sucedida, mas infelizmente não pôde sair do Paraná."Além das peças escritas por Pallottini, Teatro Completo traz seis importantes traduções e adaptações por ela assinadas, que resultaram em belas montagens, como A Vida É Sonho, de Calderón de la Barca, e Divinas Palavras, de Ramon del Valle Inclán. Teatro Completo. De Renata Pallottini. Ed. Perspectiva. 881 págs. R$ 75. Livraria Cultura. Av. Paulista, 2.073, 3170-4033. Hoje, 18h30Renata Pallottini Cumprimenta e Pede Passagem. De Rita Ribeiro Guimarães. Imprensa Of . 262 págs. R$ 9

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.