Rembrandt e artistas chineses serão destaque em leilão da Sotheby's em Pequim

A Sotheby's realizará no domingo o primeiro grande leilão na China continental, levando a competição da casa de leilões nova-iorquina com a rival Christie's para um dos mais aquecidos mercados mundiais da arte, apesar da repressão do governo local aos gastos com luxos.

Reuters

29 de novembro de 2013 | 10h01

Em parceria com a Gehua Art Company, de Pequim, a Sotheby's irá oferecer obras chinesas modernas e contemporâneas num valor total estimado em mais de 123 milhões de iuanes (20,2 milhões de dólares).

Serão mais de cem lotes à venda, incluindo telas de alguns dos mais renomados pintores chineses, além de três lotes de diamantes e obras europeias de arte e mobiliário, que estão em exposição.

"Retrato de Homem com as Mãos na Cintura", obra do mestre holandês Rembrandt avaliada em 50 milhões de dólares, será parte dessa exposição com itens à venda. Dentre as obras chinesas, o principal destaque é "Abstração", de Zao Wou-ki, com valor estimado em 35 a 45 milhões de iuanes (5,7 a 7,4 milhões de dólares).

A Sotheby's desembarca em Pequim num momento difícil para os gastadores chineses, já que o governo local está reprimindo a corrupção e a extravagância por parte de funcionários públicos, o que tem afetado a venda de carros de luxo, bebidas finas e outros itens caros.

(Por Adam Rose)

Tudo o que sabemos sobre:
ARTECHINALEILAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.