Roberto Castro/MTur
Roberto Castro/MTur

Regina Duarte: 'Sigo secretária'

Em sua rede social, atriz reafirmou que continua no posto, e disse que Ministério do Turismo vai convocar reunião do comitê gestor do Fundo Setorial do Audiovisual

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

05 de junho de 2020 | 20h54

"Demitida" pelo presidente Jair Bolsonaro no dia 20 de maio, Regina Duarte continua nomeada oficialmente como secretária especial de Cultura do Brasil. Na quinta-feira, 4, ela visitou, ao lado do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, as obras de revitalização da Biblioteca Demonstrativa do Brasil Maria da Conceição Moreira Salles, em Brasília. À noite, Regina postou uma mensagens nas redes sociais em que afirma: "sigo secretária".

"Não me permito sair deixando incompletas lutas e conquistas para o Setor Cultural", escreveu. "Um exemplo? A Convocação pelo Ministério do Turismo, da reunião do Conselho Gestor da ANCINE para que o Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) seja liberado."

O ministério ainda não confirmou à reportagem se a convocação foi realmente realizada. Também não há anúncios sobre o assunto no site oficial ou nas redes sociais da pasta, tampouco no Diário Oficial da União.

A liberação dos recursos do Fundo Setorial do Audiovisual é uma ação fundamental para o setor no Brasil. Os valores, previstos em Orçamento, estão represados desde o início do governo Jair Bolsonaro, em 2019.

Um dia depois da demissão de Regina Duarte, o governo federal publicou um decreto transferindo o restante da estrutura da Secretaria Especial da Cultura para o Ministério do Turismo. Anunciada há seis meses, a mudança só foi oficializada no dia 21 de maio, e entra em vigor na próxima segunda-feira, dia 8. Era esperado que o substituto da atriz fosse anunciado ainda esta semana, para já trabalhar na transição.

Já na Cinemateca Brasileira, para onde o Planalto prometeu enviar a atriz como prêmio de consolação, a situação segue dramática. Sem um secretário especial de Cultura de facto, a instituição desconhece seu futuro.

Veja a postagem de Regina Duarte:

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

... e por falar em Cultura... ... aceitei assustada o convite para a Missão. Aceitei por amor ao meu País, por paixão irrefreável por Arte e Cultura, por confiança no governo Bolsonaro. Aceitei porque muita gente, muita gente mesmo, quando cruzava comigo, em qualquer lugar, com o olho brilhando de esperança, dizia: “Aceita, Regina”! Minha inexperiência em gestão pública foi crucial para que eu descobrisse, até com certo atraso, que o Projeto de Cultura com que sempre sonhei era inviável, porque eu estava enredada num universo muito mais preocupado com Ideologias do que com Cultura. As pressões cotidianas de gente que desconhece a máquina da administração pública foram companheiras constantes. Sempre me pareceu nítido que havia uma torcida nas mídias, nas redes sociais para que a minha gestão não se consolidasse. E sigo Secretária. Não me permito sair deixando incompletas lutas e conquistas para o Setor Cultural. Um exemplo? A Convocação pelo Ministério do Turismo, da reunião do Conselho Gestor da ANCINE para que o Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) seja liberado. Editais que darão novo fôlego à Cultura Brasileira serão novamente possíveis. Trabalho ainda na edição de um vídeo com textos e imagens que falam do Projeto de Cultura que pude construir com minha Equipe. Não foi pouca coisa. Em breve vou ter a alegria de comunicar as ações que minha passagem pela Secretaria Especial da Cultura deixa como legado a quem me suceder.

A post shared by Regina (@reginaduarte) on

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.