Carolina Marcos Corrê/ Presidência da República
Carolina Marcos Corrê/ Presidência da República

Regina Duarte posta vídeo que critica o 'marxismo cultural'

Enquanto decide se aceita ou não cargo de chefe da cultura, a atriz usou sua rede social para publicar vídeo que diz que 'hoje as pessoas se colocam no lugar de vítima para massacrar as outras'

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de janeiro de 2020 | 19h36

A atriz Regina Duarte esteve em Brasília na semana passada e disse que vai "refletir sobre tudo o que viu e aprendeu" durante os dias de "teste" na Secretaria Especial de Cultura para responder se aceita ou não o cargo de chefe da cultura do governo federal. Enquanto pensava e refletia, a atriz publicou no último domingo um vídeo em sua conta no Instagram se posicionando contra o "marxismo cultural".

O vídeo contém um trecho da participação do ex-BBB Adrilles Jorge no programa Joven Pan Morning Show, apresentado por Guga Noblat na Rádio Jovem Pan. "O que é que o marxismo cultural faz? coloca negros contra brancos, mulheres contra homens, homossexuais contra heterossexuais", diz Jorge no vídeo. E prossegue: "esquerda identitária é um exemplo clássico de marxismo cultural, que muda esse divisionismo entre classes sociais para classes étnicas, sexuais".

"Só existe isso no mundo hoje. Ou seja, pessoas que se colocam no lugar de vítima para massacrar as outras. Isso é marxismo cultural, propalado em boa parte pela indústria cinematográfica, teatral, cultural e literária", finaliza Jorge.

Para Entender

O que é marxismo cultural?

Entenda o real significado de marxismo cultural, termo que tem sido cada vez mais usado pelo alto escalão do governo do presidente Jair Bolsonaro.

A atriz concorda com os argumentos do ex-BBB: "Viajando na internet neste domingo ensolarado ... olha só que depoimento bacana, profundo, super real (sic). Quem é esse cara ?!", escreveu Regina no post.


 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Viajando na internet neste domingo ensolarado ... olha só que depoimento bacana, profundo , super real . Quem é esse cara ?!

Uma publicação compartilhada por Regina (@reginaduarte) em


O vídeo, que já registrou mais de 195 mil visualizações, recebeu comentários contrários e a favor. Entre eles, destaca-se o da atriz Letícia Sabatella.

"Precisamos estudar a História não pelo ponto de vista do opressor e sim do oprimido. Qualquer discurso que fale em distribuição equânime de renda, de educação, cultura, atendimento à saúde , qualidade de vida, será execrado pelo sistema excludente de acúmulo concentrado de renda para poucos explorarem milhões, como é o capitalismo sem escrúpulos. Cuidado aí, gente. Vamos estudar melhor antes de repetir a fala do opressor!, escreveu a atriz.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.