Rede de contrabando de peças egípcias é desarticulada

A Polícia do Egito desarticulou uma rede de contrabando de peças arqueológicas que datam do Império Antigo egípcio (2575-2125 a. C.) e deteve quatro pessoas, entre elas um ex-inspetor de arqueologia. Entre as antiguidades apreendidas estão bustos de pedra que representam reis e deuses da época faraônica, entre eles um da deusa Sekhmet e outro do deus Hórus. Também se destacam uma estátua que representa um homem com típicos adornos faraônicos, e outro de uma mulher, também esculpidos em pedra, informou a agência egípcia Mena.As peças apreendidas, que de acordo com os detidos, seriam vendidas no mercado negro por cerca de US$ 350 mil, foram enviadas ao Conselho Superior de Antiguidades (CSA), para que uma comissão de especialistas determine a que dinastia do Império Antigo pertencem.Nos últimos anos, as autoridades do Egito - país onde só se desenterrou 30% de seu patrimônio arqueológico, segundo cálculos - detiveram dezenas de pessoas por terem roubado múmias e outras antiguidades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.