Recuperadas mais duas das sete esculturas roubadas de Botero

Obras do pintor e escultor colombiano foram roubadas na Toscana, Itália, em outubro passado

Efe

29 de abril de 2008 | 18h36

Duas das sete estátuas roubadas do pintor e escultor colombiano Fernando Botero em outubro passado na fundação de Petrasanta, na Toscana, centro da Itália, foram encontradas nesta terça-feira, 29, em Vilareggio, na costa tirrena, não muito distante do local do roubo, informaram fontes policiais. As estátuas - uma representa um cachorro e outra, duas bailarinas - foram encontradas dentro de duas bolsas em um parque da periferia de Viareggio, localidade turística da Toscana a 371 quilômetros ao norte de Roma. Ao que parece, um desconhecido chamou a polícia de Viareggio e informou a localização das estátuas.  No momento, espera-se que o escultor as reconheça para verificar sua autenticidade.  Há vários dias foram recuperadas na região de Veneto outras três estátuas e detidos os irmão italianos Massimo e Giuseppe D'Andrea, que as transportavam. Se for confirmada a autenticidade das outras duas esculturas descobertas nesta terça-feira, 29, só faltarão outras duas para serem encontradas.  As sete estátuas, de 50 por 70 centímetros, avaliadas em 3,5 milhões de euros (R$ 9,2 milhões), foram roubadas dia 22 de outubro da fundação L'Arte, que é um dos únicos estabelecimentos "de confiança de Botero", que tem um pequeno estúdio em Pietrasanta.

Tudo o que sabemos sobre:
BoteroÍtalia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.