Record leva sua programação aos Estados Unidos

Levar a sua programação para osEstados Unidos pode significar para a Record o fim de um problema: o comércio de fitas piratas de suas atrações no exterior. A emissora, em parceira com a empresa de DTH(distribuição de televisão via satélite) Dish Network, está lançando esta semana o canal Record Internacional. Ele terá 70% da programação da rede à disposição em todo EUA e Canadá. Entreas atrações que a Record Internacional trasmitirá estão os programas É Show, de Adriane Galisteu, e O Programa Raul Gil, campeões de fitas pirateadas entre brasileiros nos Estados Unidos."Há um verdadeiro mercado dessas fitas, principalmente em Miami", explica o vice-presidente da emissora, RobertoFranco. "As do programa Raul Gil são as que fazem mais sucesso, pois o programa mostra artistas brasileiros. As fitas podem ser compradas por US$ 3 cada."Franco diz que as atrações de Galisteu e Bóris Casoy estão entre os programas prediletos da Record no exterior. Segundo ele, os comentários do jornalista são respeitados até pelo público americano. "Adriane é conhecida e o Bóris é tidocomo referência entre os investidores de olho no Brasil". "Nossa intenção é levar alguns de nossos artistas para comandar eventos na Record Internacional, como uma forma de estreitar oslaços com o público de lá. A primeira a ir é a Adriane, ainda esta semana", continua. "Já pensamos em produzir, mais adiante, atrações especialmente para a Record Internacional."

Agencia Estado,

31 de outubro de 2001 | 16h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.