Record investe pesado em novela sem autor

"Nós somos a bola da vez e ninguém vai conseguir segurar a gente." Foi com esse entusiasmo que o diretor Artístico da Record, Del Rangel, abriu na manhã de ontem a coletiva de lançamento da primeira novela da "retomada" da emissora, Metamorphoses, que estréia no dia 8 de março. Ele se refere à nova fase que o canal paulista entrou a partir do início do ano. O diretor disse que a produção independente de novelas só não havia dado certo até hoje porque o número de produtoras competentes era pequeno. Aproveitou para dar uma alfinetada no concorrente que ainda ocupa o vice-reinado de audiência, o SBT. "Assistam ao Canavial das Paixões que o SBT está produzindo. Gente, não tem nem como comparar com a nossa novela! O que estamos fazendo tem qualidade, aquilo lá está sendo feito meio às pressas", diz. "Com certeza seremos uma opção de qualidade ao Jornal Nacional da Globo", acrescenta. Jornal Nacional? Aquele que dá 35, 40 pontos de audiência? Isso mesmo, a Record está pensando alto, gastando mais de R$ 120 mil por capítulo da novela - valor que não foge muito dos padrões globais - e contratando veteranos como Gianfrancesco Guarnieri, Paulo Betti, Joana Fomm, Zezé Motta e atores mais novos, como Luciano Szafir. "Já temos quatro patrocinadores. Só falta fechar alguns detalhes da história para elaborar os merchandisings", explica Sidineu Ferrari, diretor comercial da Record. Mas "fechar alguns detalhes" pode não ser uma tarefa tão simples para a equipe da Record. Metamorphoses ainda não tem autor. Nem os produtores sabem dizer quem está escrevendo a história. O autor era o escritor Mario Prata, mas se desentendeu com a dona da produtora Casablanca, Arlete Siaretta, e saiu do projeto. Prata não teria aprovado mudanças que Arlete fez em seu texto. Quem está cuidando do enredo é uma equipe denominada ´Charlotte K´, sob a supervisão de Arlete Siaretta. Com ou sem autor, a história de Metamorphoses tem características interessantes que podem ser bem aproveitadas pela misteriosa equipe. O diferencial da trama da Record é que ela mistura ficção com reality show. Uma das protagonistas, a atriz Tallyta Cardoso, será uma modelo e atriz que faz de tudo para voltar à TV e ainda tem conflitos com a mãe, vivida por Joana Fomm, que costuma dizer que a filha não é tão bonita. Tallyta fará duas cirurgias plásticas de verdade, uma nos seios (implante de silicone) e outra no nariz. Na clínica também se passa outro conflito: a criminosa Circe (Ligia Cortez) sofre um acidente e tem seu rosto desfigurado. Pede então para os cirurgiões da clínica implantarem um novo rosto. Ao mesmo tempo, entra em cena a Yakuza, famosa máfia japonesa, atrás de uma jóia rara. Metamorphoses será gravada em alta definição e, segundo Sidineu Ferrari, é a primeira de uma nova safra de novelas da Record para o horário nobre. Silvio Santos que se cuide...

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.