Record investe em jornalismo

Depois de muito assédio, finalmente a Record conseguiu trazer a jornalista Mônica Waldvogel (ex-Globo) para reforçar seu time. Com 18 anos de experiência em televisão, Mônica chega à emissora de Edir Macedo para comandar ao lado de Rodolfo Gamberini o Fala Brasil, noticiário matutino que deverá passar por reformulações internas a partir da segunda quinzena de fevereiro. A assinatura do contrato, ocorrida no último dia 12, também contou com a presença de outros jornalistas da casa, como Eleonora Paschoal e José Carlos Datena. Decidida a se consolidar como uma das grandes emissoras do País, a "Record" estará literalmente atirando para todos os lados no sentido de variar sua programação. Além de Mônica, a emissora também fechou contrato com o pagodeiro Netinho, vocalista do grupo Negritude Jr., que comandará uma atração semanal dentro da linha de shows da emissora. Assim como as reformulações do Fala Brasil, o formato do programa de Netinho deverá ser divulgado nos próximos dias.Por enquanto, a única certeza no programa de Netinho é a do quadro A Princesa e o Plebeu, que o pagodeiro apresentava no Domingo Legal. A atração consistia em Netinho vestir-se de motorista de limusine e acompanhar uma fã em um dia de diversão, com direito a muitas compras, no melhor estilo "um dia de Cinderela". Comenta-se ainda que o formato do programa poderá ser uma sitcom, com um elenco composto apenas por atores negros (incluindo o cantor Jair Rodrigues), nos moldes do famoso seriado americano Bill Cosby Show. Humor Paraibano - Ainda na linha de variedades, a Record também assinou contrato com o humorista paraibano Shaolin, que até agosto do ano passado fazia participações ao vivo no Domingão do Faustão, na TV Globo. Sob a proteção de Fausto Silva, Shaolin ganhou espaço na Globo graças à sua capacidade de improviso, algo que deverá render um humorístico semanal, onde fará sátiras de programas de TV, filmes, comerciais, além de também gravar quadros externos.

Agencia Estado,

21 de janeiro de 2001 | 20h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.