Reality TV explora o amor nos EUA

Os programas de "reality TV" queexploram a busca pelo príncipe encantado ganharam novaspremissas a partir desta semana na televisão americana. Doisshows entraram no ar com muita polêmica e altos índices deaudiência, o que prova que a fórmula não está esgotada. Estreou na segunda-feira na Fox o programa JoeMillionaire, em que 20 mulheres são mandadas para umcastelo na França para tentar conquistar o coração de um sujeitobonitão que acaba de receber uma herança de US$ 50 milhões. Anovidade é que tudo não passa de uma mentira. Evan Marriott, opríncipe encantado do tal castelo, é um operário da construçãocivil e ganha US$ 19 mil por ano, ou seja, está um pouco acimada "linha de pobreza" na América. No episódio de estréia, o Joe Millionaire disse quetinha arrependimento de mentir para as candidatas, mas não podiafazer nada porque já estava metido naquilo "até a cintura". Apremissa do programa é tentar descobrir as concorrentes queestão ali apenas pelo dinheiro. A revelação de que ele épobretão vai ser apenas no último episódio. Se os índices deaudiência já foram altos no início, imagine o que vem por aí atéo fim da curta temporada. Joe Millionaire foi o programa com a estréia demaior audiência na TV americana nos últimos tempos. Só não bateuThe Bachelor, a série na qual é baseado. O episódiode estréia teve uma audiência média de 18,6 milhões detelespectadores, mas chegou a picos de 20,2 milhões. A Fox nãoconseguia números tão bons em sua programação de segunda-feiradesde o seriado Melrose Place, em janeiro de 1995. Resta saber se o público vai ficar mesmo ligado na tramaaté o fim de fevereiro. Além da mentira em si, a Fox aposta nointeresse da audiência na trajetória do protagonista de "sapo apríncipe" e nos atributos físicos do galã de 1,95 metro, que jáfoi porteiro do Paramount Hotel, em Times Square, e modelo deuma marca de cuecas chamada California Muscle. The Bachelor também deu origem a TheBachelorette, a vingança das mulheres a um dos programas maismachistas da TV americana. Entra no ar esta noite na ABC aversão feminina do show em que um homem escolhe sua possívelfutura esposa em um grupo de 25 candidatas. A preterida datemporada inicial, Trista Rehn, vai ter a chance de se divertircom 25 concorrentes. A dúvida é se o público conservador vaiachar bom ver uma mulher usar os homens da mesma maneira quefizeram Alex Michel e Aaron Buerge, os solteirões de TheBachelor até agora. A tendência é a multiplicação dos shows de "realityTV" "românticos". A ABC já está atrás da mulher que vaiestrelar The Bachelorette 2. Joe Millionaire, por suavez, não pode ter uma seqüência, porque a piada funciona apenasuma vez. Mas vários programas semelhantes estão no ar em muitasemissoras de TV americanas (da MTV à série TLC, The LearningChannel), como Blind Date (exibido no Brasil pelo canal deTV por assinatura USA), Elimidate, Dismissed eEX-treme Dating, entre outros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.