Reality com crianças causa discussão sobre televisão nos EUA

Programa reúne 40 jovens confinados em uma cidade abandonada no deserto do estado do Novo México

BBC Brasil

19 de setembro de 2007 | 14h02

Um reality show que estréia nesta quarta-feira, 19, nos Estados Unidos está causando grande polêmica no país por envolver crianças.  Veja também:Kid Nation causa polêmica O programa Kid Nation, da TV americana CBS, reúne 40 crianças de 8 a 15 anos, que ficaram confinadas durante 40 dias numa cidade abandonada no deserto do estado do Novo México.  Para atingir o objetivo do reality show, os jovens tinham de criar uma sociedade funcional com um sistema próprio de leis, comércio e classes sociais. As crianças foram deixadas sozinhas sem qualquer vigilância e grupos de direitos humanos acusam os produtores de exploração infantil.  Os pais das crianças assinaram um contrato de 22 páginas em que isentavam os produtores de qualquer reponsabilidade pelo bem-estar de seus filhos. Acidentes  Mas há relatos de que os jovens foram obrigados a passar 14 horas em frente às câmeras, e de acidentes, como o de um menino que teria queimado o rosto com gordura quente. Kim Talman, da Associação Nacional para Proteção de Crianças disse: "As leis sobre trabalho infantil são muito frouxas no Novo México. Por isso é que eles foram para lá''.  "Na Califórnia e em Nova York eles nunca teriam conseguido permissão para um programa como este. E a maneira como eles estão tratando o assunto passa a idéia de que as crianças não foram empregadas para fazer o programa", critica Talman. O que está por trás das filmagens de Kid Nation só os produtores sabem, já que até agora nem os críticos de TV assistiram ao episódio de estréia.  Já houve pedidos para que a CBS cancele o programa, mas a rede de TV indicou que não pretende voltar atrás.  A CBS diz que não está tentando evitar má publicidade e que o programa faz parte de sua estratégia de marketing.

Tudo o que sabemos sobre:
Realitycriança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.