Reação brasileira a "Os Simpsons" ganha repercussão internacional

A notícia sobre a reação das autoridadesbrasileiras ao episódio de Os Simpsons sobre o Brasilespalha-se rapidamente pela imprensa internacional. Veículoscomo a BBC, agências de notícias como AP e Reuters e o jornalThe New York Post publicaram notícias sobre o fato de que opresidente Fernando Henrique Cardoso e a diretoria da Riotournão acharam graça no episódio Blame It on Lisa, em que afamília viaja para o Rio de Janeiro.Na história, Homer é seqüestrado por um taxista, Marge édistraída por uma mulher enquanto menores roubam a bolsa dela euma instituição de caridade leva o nome de "Orfanato dos Anjos Imundos". O Riode Janeiro também é mostrado como uma cidade infestada pormacacos, ratos coloridos e jibóias que engolem pessoas.A repercussão tem sido grande, mas o plano da Riotour deentrar com um processo contra a rede de TV Fox, que apresenta oprograma nos Estados Unidos, é visto como um caso difícil desequer ser levado a sério. A famosa Primeira Emenda daConstituição do país garante a liberdade irrestrita de expressão, o que inclui o direito de paródia, como neste caso em que a brincadeira é extremamenteexagerada. A Fox ainda não se pronunciou a respeito do caso,mas, de acordo com o canal E! Entertainment, se houver umprocesso, eles simplesmente alegariam "liberdade deexpressão". O mesmo princípio permite, por exemplo, que umaorganização a favor da descriminalização da maconha use a imagemdo prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, em uma novacampanha. O político assumiu, no ano passado, que já consumiu adroga e que gostou. A campanha da National Organization for the Reform of MarijuanaLaws (Norml) usa uma imagem de Bloomberg com a frase: "Comcerteza eu fumei _ e gostei!" O prefeito disse ontem, em NovaYork, que, embora não esteja feliz com a campanha, não há nadaque possa ser feito contra a entidade. "Eles estão protegidospela Primeira Emenda", disse ele.O que o presidente da Riotur, José Eduardo Guinle, talvez nãosaiba é que Os Simpsons tem uma longa tradição de esculhambar diferentes culturas, sempre usando os principaisclichês associados a cada uma. Em seus 12 anos no ar, asérie já mostrou os ingleses como "hooligans" e os canadensescomo pessoas sem personalidade. Também já sobrou paraaustralianos, alemães, japoneses e franceses.A premissa de Os Simpsons é a sátira dos próprios valoresdos Estados Unidos: Homer é uma sátira ao americano médio que querse dar bem a qualquer custo, enquanto todos os personagens deSpringfield são interesseiros, mal-informados, deslumbrados comcelebridades e egoístas ao extremo. Os Simpsons é, ao lado da série Malcolm, o programa de maior audiência da Fox atualmente e o 33º programa mais visto na TVnorte-americana, de acordo com os números do insituto Nielsendivulgados nesta quarta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.