´Raul Fora da Lei´, com o ator Roberto Bomtempo, estréia amanhã

Em 1990, durante as gravações da novela Ana Raio e Zé Trovão, o ator Roberto Bomtempo entrou em uma loja de beira de estrada e deu de cara com a obra completa de Raul Seixas , registrada em uma caixa com 22 fitas piratas. Um fã havia feito a encomenda e desaparecido. O ator resolveu aproveitar a oportunidade e comprou a caixa. Mal sabia ele que a pirataria seria fundamental para o início do processo de criação do espetáculo Raul Fora da Lei, que estréia amanhã (19) na Sala Adoniran Barbosa, no Centro Cultural São Paulo."Sempre gostei de Raul, mas, por meio daquelas fitas, tomei contato com o que não era sucesso e fiquei maravilhado", diz o ator. A iniciação de Roberto ao lado B da discografia do maluco beleza, rendeu um musical em 1992. Após o Tributo a Raul Seixas, Bomtempo prosseguiu na pesquisa. "Reuni todo material num pré-roteiro e chamei o diretor teatral Luiz Arthur Nunes para dar o formato final ao texto de Raul Fora da Lei", explica o ator, que define o espetáculo como um monólogo musicado.Sucessos como Metarmorfose Ambulante, Sociedade Alternativa, Maluco Beleza e Cowboy Fora da Lei, e composições obscuras como Geração da Luz e a intrigante Canto Pra Minha Morte, são algumas das 16 músicas do repertório. Bomtempo conta que a seleção foi a tarefa mais difícil e o critério de avaliação foi a dramaticidade. "Muitas músicas entraram no espetáculo por causa da carga dramática exigida por determinados momentos do texto".O cineasta José Joffily assina a direção da montagem e Bomtempo tem o apoio de quatro músicos na execução das canções.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.