Rap dos Racionais chega com preço salgado a Pinheiros

Após show tumultuado na Praça da Sé, músicos se apresentam no Urbano

Pedro Henrique França, da Agência Estado

13 de julho de 2007 | 17h44

Há dois meses eles, que dificilmente fazem show fora da periferia, participaram da Virada Cultural, organizada pela Prefeitura de São Paulo. O show, que começou atrasado, às 4 da manhã, e deveria marcar história pela expectativa que o cercava, acabou se transformando em manchete por conta do tumulto entre alguns bagunceiros e a polícia, transformando a Praça da Sé em palco de guerra. Pois nesta sexta-feira, 13, os Racionais MCs dão uma nova chance para o público conferir suas letras fortemente politizadas que atacam a violência policial e discorrem sobre a difícil vida das favelas.O ambiente, entretanto, será bem diferente da democrática praça ao ar livre com acesso gratuito. Desta vez, o rap engajado do grupo, integrado por Mano Brown, Ice Blue, Edy Rock e KL Jay, toma conta de um local mais elitista, o Urbano, em Pinheiros, com preços altos - R$ 30 para mulher; e R$ 60, homem. O fato é que os Racionais colecionam, sim, muitos fãs entre mauricinhos e patricinhas e esta nem é a primeira vez que tocam num evento mais "separatista".Mas é, inegavelmente, curioso ver personagens de classe mais abastada entoando letras que os desdenham como em "Da ponte pra cá", em que traz os seguintes trechos: "Playboy bom é chinês, australiano / fala feio, mora longe e não me chama de mano / ô vem com a tua cara e o dindin do teu pai, mas pro rolê com nóis `cê não vai / nóis aqui, vocês lá, cada um no seu lugar. Entendeu? Se a vida é assim, tem culpa eu?".Rompendo fronteirasPara Primo Preto, produtor do evento e "truta" dos "manos", este show não representa um diálogo mais aberto entre periferia e elite. É a prova de que o rap foi além do gueto. "O avanço foi da música rap mundialmente, não da periferia ou da sociedade. O rap rompeu fronteiras e acabou chegando a diversas classes sociais e não só mais na periferia", explica o aniversariante produtor, que convidou o grupo para lançar, na ocasião, o DVD 1000 trutas, 1000 tretas.Ele, que também irá discotecar no evento, pondera ainda a questão dos ingressos: "Veja bem, o valor leva em consideração que tem ingresso para estudante. É uma festa, na verdade, onde os Racionais fazem um show de lançamento. O valor (dos ingressos) é devido a isso, à proporção do evento".O DVD, que lançam no Urbano, o primeiro dos Racionais, segue o roteiro do CD duplo Nada Como Um Dia Após o Outro, lançado em 2002 e que trouxe canções de peso - Vida Loka, Nego Drama, Eu Sou 157. O grupo, no entanto, já havia alçado o sucesso com o histórico Sobrevivendo no Inferno (1998), com músicas como Diário de um Detento, Mágico de Oz e Capítulo 4, Versículo 3. No total, são 18 anos de carreira, três CDs e o DVD. O show, previsto para começar 1 hora da manhã (mais o atraso típico), deve contemplar os dois últimos lançamentos do grupo.Verdades brasileirasSe vai soar estranho os integrantes vociferando críticas para um publico desconectado da realidade que os Racionais cantam, bom é ver que ainda há pessoas que, endinheiradas ou não, valorizam a importante obra deste grupo de rap. Os manos racionais cantam verdade, de forma pesada e coerente. Abordam tráfico de drogas, miséria, exclusão, dentre outras mazelas, e atingem como um soco no estômago."O Racionais expressa o que está engasgado na garganta do povo brasileiro. É um grupo simples, de letras simples e que atinge pessoas simples", diz Primo Preto. E arremata: "O Racionais relata a verdade de como é duro ser brasileiro".Racionais MCs. Urbano Club. Rua Cardeal Arcoverde, 614, Pinheiros. Sexta-feira (13), a 1 hora (abertura da casa: 23h). Ingressos: R$ 60 (homem); R$ 30 (mulher). Camarotes: de R$ 900 a R$ 1.500. Informações: (11) 3081-9343.

Tudo o que sabemos sobre:
Racionais

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.