Rachlin, violino e regência

O violinista lituano Julian Rachlin, estrela ascendente do cenário internacional, está de volta a São Paulo, agora para trabalhar com os músicos da Sinfônica de Heliópolis. Ao longo da semana, ele comandou ensaios e deu master classes no Instituto Baccarelli; e, amanhã, às 11 horas, na Sala São Paulo, faz um concerto que tem tudo para ser destaque da temporada sinfônica do ano.

O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2012 | 03h09

Rachlin vai tocar e reger - nos últimos anos, ele tem se aventurado também como maestro. Na primeira parte, interpreta o Concerto para Violino e Orquestra n.º 5 e a Sinfonia n.º 35 de Mozart; na segunda parte, comanda a execução da Sinfonia n.º 4 - Italiana de Mendelssohn. A colaboração de Rachlin com a Sinfônica de Heliópolis não para aí. Em agosto, ele volta a São Paulo para participar como solista do concerto que o grupo faz sob regência de Zubin Mehta.

A apresentação de amanhã acontece na Sala São Paulo, dentro da série de Concertos Matinais da Osesp. A entrada é franca e os ingressos podem ser retirados na bilheteria da própria sala. A partir de cinco ingressos, no entanto, será cobrado o valor de R$2 por cada um. Mais informações pelo telefone (11) 3223-3966. / JOÃO LUIZ SAMPAIO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.