Querô vence Festival Ibero-americano de Cinema

Filme de Carlos Cortez é o grande destaque no 17º Cine Ceará

Agencia Estado

07 de junho de 2012 | 03h39

O filme paulista Querô, baseado na obra de Plínio Marcos, foi o grande vencedor do 17º Cine Ceará - Festival Ibero-americano de Cinema. Além do Mucuripe (o troféu do festival) de melhor filme, Querô, dirigido por Carlos Cortez, levou também o prêmio de ator com Maxwell Nascimento, que faz o papel-título. Bem premiado também foi o cubano La Edad de la Peseta, que recebeu os troféus de direção, trilha sonora e direção de arte. A atriz escolhida foi a peruana Magdyel Ugaz, que recebeu o troféu por sua interpretação de uma jornalista sensacionalista em Mariposa Negra. O argentino Chile 672 ficou com o prêmio de roteiro e o ousado Body Rice, de Portugal, foi reconhecido com os troféus técnicos de som e fotografia. O melhor curta-metragem foi o cearense Vida Maria, de Márcio Ramos, uma ilustração em forma de desenho animado do ciclo de ferro que condena as mulheres sertanejas a uma dura vida, geração após geração. Dos oito longas concorrentes, três não receberam prêmios do Júri Oficial: o documentário Patativa do Assaré, o guatemalteco Las Cruzes e o longa de ficção espanhol De Bares. Mesmo assim, os dois primeiros ganharam prêmios de outras instituições como o Banco do Nordeste e Câmara Municipal de Fortaleza. JustiçaO bem realizado Querô, com seu tema urgente da infância abandonada, era, pensando bem, a melhor escolha. Assim, o resultado parece justo, com alguns poucos reparos. O maior deles talvez a concentração excessiva de prêmios em La Edad de la Peseta, que não precisava acumular os merecidos troféus de direção de arte e trilha sonora com o de direção, que poderia ter ficado em outras mãos. Patativa do Assaré foi o mais querido pelo público e mesmo assim passou batido. E o problemático, mas interessante, De Bares poderia ter sido lembrado para algum prêmio. Ainda assim, o júri acertou ao repartir os prêmios de maneira o mais eqüitativa possível - não havia nenhum filme arrebatador, daqueles que ganham sozinhos em todas as categorias principais. Nesse caso, o melhor mesmo é distribuir. O Cine Ceará realizou sua segunda edição em versão ibero-americana. Na primeira, ano passado, venceu a Argentina com O Guarda-Costas. Agora, deu Brasil. Confira a lista completa da premiação:Mostra Competitiva Ibero-Americana: LONGA-METRAGEMMelhor Longa (U$ 10,000 - dez mil dólares): Querô, de Carlos CortezMelhor Direção: Pavel Giroud, por La Edad de La PesetaMelhor Roteiro: Pablo Bardauil, com Chile 672Melhor Fotografia: Paulo Ares, por Body RiceMelhor Edição: Paulo Sacramento, por QuerôMelhor Som: Pedro Melo, Gerard Rousseau e Elsa Ferreira, por Body RiceMelhor Trilha Sonora Original: Ulises Hernandez, por La Edad de La PesetaMelhor Direção de Arte: Vivian del Valle, por La Edad de La PesetaMelhor Ator: Maxwell Nascimento, por QuerôMelhor Atriz: Magdyel Ugaz, por Mariposa NegraMostra Competitiva Brasileira: Curta-MetragemMelhor Curta: Vida Maria, de Marcio RamosMelhor Direção: Alexandre Basso, por ParalelosMelhor Fotografia: Roberto Iuri, por No Rastro do Camaleão e Sol de AmémMelhor Edição: Joa Pimentel e Leandro Cazumbá, por Câmara ViajanteMelhor Roteiro: Carlos Eduardo Nogueira, por YansanMelhor Som: Chico Borôro, por ParalelosMelhor Direção de Arte: Carlos Eduardo Nogueira, por YansanMelhor Ator: Cláudio Jaborandy, por Dia de FolgaMelhor Atriz: Leuda Bandeira, por Sol de AmémBNBMelhor Produção com Temática Nordestina (prêmio de R$ 10.000,00): Patativa do Assaré- Ave Poesia, de Rosemberg CaririMelhor Curta-metragem (prêmio de R$ 5.000,00): Vida Maria, de Márcio RamosPremio Aquisição Canal BrasilMelhor curta-metragem (prêmio de R$ 5.000,00): Vida Maria, de Márcio RamosPrêmio Oscarito - Câmara Municipal de FortalezaLas Cruzes, de Rafael Rosal

Tudo o que sabemos sobre:
Querô

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.