Imagem Fábio Porchat
Colunista
Fábio Porchat
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Que dia é hoje

Que que eu tinha pra fazer hoje mesmo? Ah, meu Deus. Era alguma coisa importante... Era enterro de alguém? Quem que morreu? Não me vem ninguém agora. Tanta gente viva que era pra estar morta, mas morta que está morta não me recordo de ninguém... Ou nasceu o bebê de alguém? Alguém tava pra ter filho? A Simone tá só gorda mesmo. Imensa. Parece que comeu uma criança. De doze anos.

Fábio Porchat, O Estado de S.Paulo

05 de outubro de 2014 | 02h08

Tinha alguém grávida na família? Ou deve ser aniversário de alguma tia. Todo dia alguma tia faz aniversário. Eu tenho pra mim que têm certas tias que fazem de três a quatro aniversários por ano. É que, como é muita tia, a gente acaba que nunca decora que tia que já fez aniversário e acaba que, essa tia sendo uma entre muitas também não se lembra mais do seu próprio aniversário e resolve comemorar.

Não, mas não é aniversario de ninguém senão já tinha apitado meu Face aqui. De repente é casamento. Não, mas aí eu já teria que estar no cabeleireiro, fazendo unha, pé, buço, virilha e sovaco. Festa da firma não é porque o inferno do Natal ainda não começou lá. Em compensação, nas Lojas Americanas já tem Papai Noel de barba falsa fazendo 'ho ho ho' com voz rouca e pigarro de quem fumou Hollywood a vida toda.

Gente, o que que tem hoje que eu to esquecendo?! Tem algum jogo será? Mas eu nem gosto de futebol. Eu devo ter marcado de ir ao cinema com a Vandra. Ou ao teatro ver aquele veadinho engraçado. Não, não é isso porque eu me conheço e já teria os ingressos aqui comigo porque sou dessas pessoas insuportáveis que gosta de ter o controle das coisas. Dieta começo amanhã, parcela do crediário só pago na terça, eu não trouxe trabalho pra casa...

Bom, deixa amanhã eu lembro. Não adianta eu ficar aqui martelando minha memória se... Será que eu deixei a panela no fogo? É isso! Ah, não, eu não cozinho. Pera aí, vamos pensar aqui. Hoje é domingo... pede cachimbo, o cachimbo é de barro... Pera aí, concentra. Pensa. Que que geralmente acontece aos domingos? Missa. Mas missa é só a noite. E mesmo assim eu sou da umbanda, não tenho nada que ir a missa. Ah, que aflição. Eu sei que tinha alguma coisa importante pra fazer hoje, domingo, cinco de outubro. Quer saber, deixa, não deve ser nada importante. Vou ficar em casa o dia todo deitado debaixo do cobertor assistindo TV aberta.

PS: Por favor, minha gente, vota direitinho, tá?

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.