Quatro toneladas de arte sobre a Oca

São Paulo está prestes a ver a maior tela produzida no mundo. O quadro de 8 mil metros quadrados e pesando quase quatro toneladas vai cobrir a Oca, no Parque do Ibirapuera, a partir de sexta-feira e ficará em exposição até 17 de janeiro.O trabalho inédito, que vai entrar para o Guinness Book, está sendo feito pelo artista plástico paulista José Roberto Aguilar, que desde a semana passada tem trabalhado incessantemente, com mais quatro ajudantes, para finalizar a tela gigante. Aguilar diz que a obra será uma representação do infinito. "Quis trazer o céu para a terra, mais precisamente para um dos pontos centrais da cidade".O quadro tem fundo azul e será pintado com 3.700 litros de tinta vinílica, sendo 1.100 litros da cor branca, 200 litros da cor azul, 800 litros da cor verde, 800 litros de amarelo e 800 da cor vermelha.Aguilar tem usado brochas e alguns rodos grandes e outros de tamanho normal para fazer os desenhos na tela - uma lona de plástico, do estilo das que cobrem caçambas de caminhões.O artista contou que o material foi escolhido para que o quadro ficasse mais resistente - podendo ser dobrado, sem causar dano à pintura - e impermeável, podendo ser colocado em cima da Oca sem causar infiltração no concreto.A lona também deixará o trabalho mais leve do que um quadro feito numa tela normal. "Quatro engenheiros civis foram consultados para que não houvesse qualquer impacto estrutural na construção", explica a publicitária Maria Julia Nogueira Amaro, que junto com Ricardo Olmo Correa ajudou a idealizar o projeto com o artista plástico.A tela será colocada sobre a Oca como uma tenda de circo - sendo amarrada nas extremidades com 854 metros de cabo aço - por isso a lona foi cortada em 16 partes iguais antes de ser pintada por Aguilar e seus ajudantes.Maria Julia explica que a divisão foi a maneira encontrada pelos engenheiros para transportar o quadro para o Ibirapuera, já que José Roberto Aguilar está pintando a tela no Centro de Exposições Imigrantes, onde há espaço para colocá-la, por inteira, no chão.A cessão da lona também irá facilitar a montagem da "tenda-quadro", que será erguida em partes (cada uma delas pesando em média 260 quilos), com o auxílio de um guindaste.Embora José Roberto Aguilar esteja acostumado a fazer grandes telas, a maior que já havia pintado tinha "meros" 80 metros quadrados. "Sempre tive vontade de fazer uma tela gigante, do tamanho de um campo de futebol. Digo que é coisa de artista baixinho, se fosse alto, só pintaria miniaturas", diz.Aguilar descobriu que a tarefa não era brincadeira ao aceitar o desafio de entrar para o livro dos recordes e chegou a quebrar um dedo do pé durante o trabalho. "Fiquei pintando sem parar e cheguei em casa tão cansado que tropecei numa cadeira e quebrei o dedo. Mas estava tão animado que só fui para o hospital três dias depois".O artista batizou o quadro de Embrulhando o Passado, Embalando o Presente e diz que o nome "parece enredo de escola de samba". "A Oca representa a nossa história, onde moraram os índios e hoje está no centro de uma grande cidade, que representa o futuro".A produtora ZYD vai fazer um vídeo sobre a criação e a montagem da tela, que será apresentado na exposição. O projeto do maior quadro do mundo custou US$ 100 mil e contou com participação de empresas privadas que doaram a lona (Sansuy), as tintas (Tec Screen e Suvinil) e o espaço (BrasilConnects).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.