Quase Nada e Paradise Now, nota 10

O Último Duende

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2010 | 00h00

14H15 NO SBT

(The Last Leprechaun). EUA,1998. Direção de David Lister, com Jack Scalia, David Warner, Veronica Hamel.

Crianças passam as férias com o pai na Irlanda. Ele escolheu o lugar porque quer apresentar os filhos à noiva. As crianças conhecem o duende do título, que lhes revela ? está sendo caçado pela futura madrasta, que é uma bruxa. Se a história parece tola, aguarde. O filme consegue ser mais tolo ainda. Reprise, colorido, 100 min.

Um Diabo Diferente

23H15 NO SBT

(Little Nick). EUA, 2000. Direção de Steven Brill, com Adam Sandler, Patricia Arquette, Harvey Keitel, Rodney Dangerfield, Rhys Ifans.

Adam Sandler faz o filho bonzinho do Diabo, que é enviado à Terra pelo pai, para resgatar o irmão que está aprontando todas. Existem ecos de O Pequeno Diabo, de (e com) Roberto Benigni, nesta comédia que abusa das grosserias ? marca registrada de Sandler ?, mas possui momentos hilários. Vários amigos do astro na TV (Saturday Night Live) fazem participações não creditadas. Entre os com créditos, estão o diretor Quentin Tarantino e Reese "Legalmente Loira" Whiterspoon. Reprise, colorido, 84 min.

Quase Nada

23H30 NA CULTURA

Brasil, 2000. Direção de Sergio Rezende, com Augusto Pompeo, Camilo Bevilacqua, Jurandir de Oliveira, Genezio de Barros, Denise Weinberg, Chico Expedito, Caio Junqueira.

O diretor Rezende faz filmes bem produzidos e com frequência "grandiosos" sobre temas importantes (Lamarca, Mauá, Zuzu Angel, Salve Geral, etc). Paradoxalmente, sua obra-prima é este filme em episódios sobre o mundo rural. Foiceiro assume a liderança de grupo e isso provoca ciúmes de seu melhor amigo; vaqueiro é perseguido por assombração e envolve a mulher em suas alucinações; outros mata a companheira, por ciúme. Por aí vão as histórias e o filme, minimalista, parece feito para contradizer seu título. Nada, aqui, pode muito bem significar "tudo". Reprise, colorido, 82 min.

Intercine

2H45 NA GLOBO

A emissora exibe o preferido do público entre ? Tão Longe, Tão Perto, de Wim Wenders, com Otto Sander, Bruno Ganz e Nastassja Kinski, sequência do cultuado Asas do Desejo, do mesmo diretor, sobre a vida afetiva de anjos que assumem riscos ao tomar a forma humana; e Gangues de Nova York, de Martin Scorsese, com Leonardo DiCaprio, Daniel Day-Lewis, Cameron Diaz, Jim Broadbent e Liam Neeson, sobre ladrão do século 19 que se infiltra em gangue para tentar vingar a morte do pai.

TV Paga

Paradise Now

16H45 NO TELECINE CULT

(Paradise Now). Palestina/Holanda/Alemanha/França, 2005. Direção de Hany Abu-Assad, com Kais Nashef, Elia Suleiman, Lubna Azabal, Amer Hichel, Hiam Abbas.

Contemporâneo de Munique, de Steven Spielberg, este filme oferece outra visão do terrorismo, como se ambos os filmes, o palestino e o norte-americano, fossem os diferentes lados da mesma moeda. Os dois se completam e são obras de grande integridade artística e moral. No de Abu-Assad, dois palestinos se preparam para um ataque suicida conjunto. Mas ambos se distanciam e, enquanto se buscam para coordenar o ataque, repassam se o sacrifício vale a pena. Uma eventual vitória deste filme no Oscar, para o qual foi indicado, teria feito diferença, como poucas vezes na história do prêmio. Abu-Assad, que conta sua história com humor e humanidade, trabalha atualmente num projeto de adaptação de Paulo Coelho. Reprise, colorido, 90 min.

Máquina Mortífera

22 H NO TCM

(Lethal Weapon). EUA, 1987. Direção de Richard Donner, com Mel Gibson, Danny Glover, Gary Busey, Mitchell Ryan, Tom Atkins, Darlene Love.

Primeiro da série de quatro filmes que o diretor Donner fez com a dupla Gibson/Glover. Conta a história de tira doidão, que gosta de se arriscar, e que é designado como parceiro de veterano que está se aposentando e só pensa em não assumir riscos nos seus últimos dias como policial. Ambos enfrentam traficante particularmente brutal. O filme tem ação e violência como o público gosta. O humor foi incrementado a partir do segundo da série, com a inclusão do personagem de Joe Pesci. Reprise, colorido, 110 min.

À Queima-Roupa

1H45 NO TCM

(Point Blank). EUA, 1967. Direção de John Boorman, com Lee Marvin, Angie Dickinson, Kerenman Wynn, Carroll O"Connor. Reprise, colorido, 92 min.

O thriller que garantiu projeção internacional ao diretor inglês Boorman incorporava o que, na época, eram novidades no tratamento de tempo e espaço, formuladas pelo autor francês Alain Resnais. Traído pela mulher e pelo parceiro, Lee Marvin vai para a prisão de Alcatraz, mas foge para se vingar. Ignorado no lançamento, o cartaz do TCM tem hoje status (merecido) de clássico. A mesma história ? de Donald E. Westlake, publicada sob o pseudônimo de Jim Stark ? foi refilmada como O Troco, com o astro Mel Gibson, em 1999. Reprise, colorido, 92 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.