Quasar traz "Coreografia para Ouvir"

Um trabalho que explora a relação entre a música e o movimento. Assim pode ser definida, em poucas palavras, Coreografia para Ouvir, de Henrique Rodovalho. A peça será apresentada de quinta a domingo, desta semana e da próxima, no Centro Cultural Banco do Brasil, no Dança em Pauta.Em Coreografia para Ouvir, Rodovalho trabalha com sons, elementos regionais e urbanos. Inspirado no Sons da Rua, da TV Educativa do Rio de Janeiro, programa que aborda a cultura popular brasileira, o coreógrafo desenvolveu um trabalho que propõe um diálogo entre elementos regionais e o seu estilo de dança.Na coreografia, Rodovalho lida com a musicalidade, a partir de ritmos nordestinos, mesclados com sons populares, como o dos andarilhos, dos repentistas, das lavadeiras, entre outras figuras típicas. Os gestos foram criados a partir de um diálogo estabelecido com a trilha sonora, sem cair no óbvio ou caricato."A estréia de Coreografia para Ouvir foi em São Paulo, agora voltaremos à cidade com um espetáculo que conta com mais duas peças, com mais detalhes e humor. Acredito que estamos aperfeiçoando", comenta Rodovalho. "A companhia está em constante pesquisa, principalmente naquilo que diz respeito à interpretação e à movimentação no palco."O público que comparecer ao CCBB no dia 4, poderá conhecer mais de perto a pesquisa e o trabalho do Quasar. "Faremos um debate aberto. A idéia é discutir o processo, a produção de um espetáculo de dança e, ao mesmo tempo, falar sobre teoria, movimentos e as relações dentro do grupo, até mesmo a influência dos bailarinos na criação", explica.Durante o encontro serão apresentadas fitas de vídeo com as demais coreografias do Quasar. A proposta é analisar a linguagem desenvolvida pelo grupo. "Cada trabalho tem a sua história, suas particularidades, no entanto há sempre a presença marcante de características da companhia, como a evolução da pesquisa em dança", diz.Serviço - Quasar Cia. de Dança. No projeto Dança em Pauta. De quinta a domingo, às 18 horas. R$ 15,00. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Álvares Penteado, 112, tel. 3113-3651. Até 4/11. Patrocínio: Banco do Brasil. Estréia quinta-feira

Agencia Estado,

24 de outubro de 2001 | 16h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.