Quanto o brasileiro gasta com livro

MARIA FERNANDA RODRIGUES

MARIAF.RODRIGUES@GRUPOESTADO.COM.BR, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2012 | 03h07

Que o brasileiro, no geral, lê pouco e gasta pouco com livros não é novidade. A última pesquisa que analisou o comportamento financeiro da população foi divulgada em 2009 pelo setor livreiro. Naquela época, o brasileiro gastava, em média, R$ 11 por ano com livros não didáticos. O estudo mostrava ainda que 40,7% das famílias investiam algum dinheiro em material de leitura, sobretudo revistas (R$ 42) e jornais (R$ 17), e que as compras comprometiam 0,05% de suas rendas. Esses números estão sendo atualizados neste momento e o resultado da nova pesquisa O Livro no Orçamento Familiar será apresentado em agosto, na Bienal de São Paulo. A falta de hábito de leitura e o preço do livro podem ser alguns dos fatores responsáveis pela ausência de livros no dia a dia dos brasileiros. Quinta-feira, a alemã GFK apresentou números do mercado nacional coletados entre janeiro e maio. Segundo a empresa, que passa a monitorar o setor, o preço do livro no Brasil só se equipara ao de outros países para obras de ficção. Títulos de não ficção são campeões do preço alto - R$ 49,40 ante R$ 34,60 da França. Infantis não ficam atrás. Se aqui o preço médio é R$ 28,60, em Portugal é de R$ 16,90. Outras pesquisas, como o Diagnóstico do Setor Livreiro e Produção e Venda do Setor Editorial (Fipe), estão a caminho e devem ajudar a mapear o comportamento de leitores, editoras e livrarias.

TRADUÇÃO

Drummond em romeno

O poeta e tradutor Dinu Flamand, nascido no Norte da Transilvânia e amante de Fernando Pessoa e Carlos Drummond de Andrade, virá ao Brasil em julho para divulgar sua recente empreitada de verter para o romeno poemas de Drummond, o homenageado da Flip deste ano. Masina Lumii Si Alte Poeme acaba de ser lançado lá pela Humanitas, editora que tem em seu catálogo nomes como James Joyce, Carlos Fuentes, António Lobo Antunes e Amós Oz. Outra editora romena, a Univers, também tem demonstrado gosto particular pela literatura brasileira. Já editou Jorge Amado, Raimundo Carrero, Moacyr Scliar e Alberto Mussa.

HQ

Em busca de editora

Durante 4 anos, Ferréz e Alexandre De Maio trabalharam na HQ Desterro (acima), que vai sair pelo selo Povo e pela editora que quiser coeditar a obra. Propostas são bem-vindas.

INTERNACIONAL

Autoajuda tipo exportação

O Amor É para os Fortes, de Marcelo Cezar, autor de 14 livros publicados pela Vida & Consciência, editora da best-seller Zibia Gasparetto, chega a Portugal pela Estampa. EVENTO

Curadoria descentralizada

O time de curadores da Bienal do Livro de São Paulo está completo e se reúne na Câmara Brasileira do Livro na terça para agilizar a programação do evento de agosto. A Antonio Carlos Sartini, do Museu da Língua Portuguesa, e aos jornalistas Paulo Markun e Zeca Camargo, já anunciados e responsáveis pelas diretrizes gerais, se juntam Guiomar Namo de Mello (Espaço Professor), André Boccato (Espaço Gourmet), Rubens Ewald Filho (Telas & Palcos) e A.P. Quartim de Moraes (Negócios). O Espaço Criança será cuidado pelo Instituto Pró-Livro.

JUVENIL

Luto e melancolia

My Sister Lives on the Mantelpiece (Minha Irmã Mora na Lareira), estreia da britânica Annabel Pitcher, de 29 anos, na literatura, será publicado aqui pela Rocco no primeiro semestre de 2013. É a história de Jamie, um garoto de 10 anos que não consegue chorar a morte da irmã gêmea, vítima de um ataque terrorista. É, também, o retrato de uma família destroçada pela perda - que passa ao largo do cotidiano do menino. O livro está entre os finalistas dos prêmios Branford Boase Award e do Carnegie Medal.

NÃO FICÇÃO

"Não acenda as luzes"

Sai em setembro, pela Amarilys, Procurado: Do 11 de Setembro ao Ataque à Abbottabad, os 10 Anos de Caçada a Osama Bin Laden, do especialista em segurança nacional e comentarista da CNN Peter L. Bergen. Autor de outros três livros sobre Bin Laden, ele ouviu personagens-chave dessa história que começou com o ataques ao WTC e terminou com a derradeira frase de Osama em seu esconderijo, a que Bergen teve acesso, e que dá título a esta nota. O lançamento reforça o catálogo de não ficção do selo de literatura da Manole.

INTERCÂMBIO

Arte e poesia daqui em Londres

O carioca Ramon Mello (foto acima) lança no fim do mês, no Rio e em São Paulo, Poemas Tirados de Notícias de Jornal pela Móbile e logo já embarca para Londres. Ele foi um dos 30 selecionados do programa Rio Artists Occupation London, residência artística organizada pela Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro. Ramon é o único escritor no grupo. Os participantes ficarão hospedados no Battersea Arts Centre entre 6 de julho e 4 de agosto. Durante esse período, farão trabalhos individuais e coletivos, se apresentarão em diversos pontos da cidade e se reunirão com artistas do Reino Unido.

*

Em Londres, Ramon Mello criará uma instalação a partir de seu livro Vinis Mofados (Língua Geral). A obra que sai agora será tema de trabalho dos artistas plásticos brasileiros João Sanchez e João Penoni.

POLICIAL

Um Silva que não é brasileiro

Daniel Silva é dos maiores best-sellers americanos. Filho de açorianos, ele nasceu e cresceu nos Estados Unidos, de onde exporta seus best-sellers. O próximo a chegar ao Brasil - a Rocco já lançou alguns títulos, hoje esgotados, e a Amarilys editou outros, que estão disponíveis - será O Caso Rembrandt. Saiu em inglês em 2010 e chega ao Brasil em agosto pela Sextante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.