Quando a inspiração tem opiniões em excesso

Ricki Stern, diretora de Joan Rivers: A Piece of Work, é a filha da melhor amiga da atriz e comediante americana Joan Rivers, Marjorie. Como o diretor Alex Gibney, ela não fez nenhum acordo com a artista de 77 anos, que permitiu que uma pequena equipe cinematográfica a acompanhasse durante um ano. Entretanto, comentou a diretora suspirando: "Joan tinha uma porção de opiniões."

Laura M. Holson, O Estado de S.Paulo

09 de julho de 2010 | 00h00

As duas assistiram juntas a uma primeira montagem do filme em um pequeno aparelho de televisão no estúdio do apartamento de Rivers, em novembro do ano passado. No começo, Joan fez algumas sugestões, "depois sua obsessão descontrolada se manifestou", disse Stern.

Uma semana antes do Dia de Ação de Graças, ela recebeu um e-mail de três páginas com notas precisas. "Ponto Número 13: chato, chato, chato."

"Quem é que vai ligar para isso?", comentou Stern, apontando para a mensagem.

Rivers riu quando soube da queixa da diretora. "Não me pergunte se não quer que eu diga o que eu acho", ela disse. (Os realizadores ignoraram a maior parte das suas objeções.) Joan Rivers deu um pulo numa das primeiras cenas em que aparece perto de uma foto do seu falecido marido, Edgar Rosenberg, e disse um palavrão. (Ele se matou em 1987.) "Claro, ainda estou possessa com ele", desabafou ela. "Mas esta é a última coisa que as pessoas vão me ver falando para ele."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.