Quadros pintados por Hitler são leiloados no Reino Unido

Destaca um autorretrato do nazista assinado com suas iniciais e no qual ele aparece sentado em uma ponte

Efe,

23 de abril de 2009 | 14h08

Treze aquarelas pintadas por Adolf Hitler nos anos 20, quando ele ainda tentava se tornar um artista profissional, serão leiloadas nesta quinta-feira, 23, no Reino Unido depois de terem sido encontrados em uma garagem.

 

Autorretrato do líder nazista assinado com suas iniciais e no qual ele aparece sentado sobre uma pedra. Foto: Efe

 

Os quadros de Hitler fazem parte de uma coleção de documentos históricos que a casa de leilões Mullock's disponibilizará para negociação esta tarde no hipódromo de Ludlow Racecourse, em Shropshire (oeste da Inglaterra).

 

A Mullock's se nega a fazer uma previsão sobre o preço que os quadros podem alcançar, mas lembra que em leilões anteriores clientes chegaram a pagar milhares de libras pelos quadros de Hitler.

 

Entre os trabalhos leiloados - em sua maioria paisagens -, destaca um autorretrato do líder nazista assinado com suas iniciais e no qual ele aparece sentado sobre uma pedra.

 

As pinturas datam dos anos 20, uma época na qual Hitler vivia na Áustria tentou se dedicar profissionalmente à pintura, mas sem sucesso.

 

Segundo a Mullock's, os quadros foram redescobertos de forma casual há apenas um mês por seu proprietário, um grande colecionador de objetos da Segunda Guerra Mundial que os deixou esquecidos em sua garagem.

 

O colecionador comprou as pinturas em 1945 de um soldado inglês que lutou contra os nazistas, explicou o especialista em documentos históricos da Mullock's, Richard Westwood-Brookes.

 

Westwood-Brookes considera "complicado" encontrar uma relação entre as aquarelas pintadas por Hitler e seus atos posteriores como líder nazista.

 

"As pessoas esperam que suas pinturas reflitam imagens agressivas, temas militares, batalhas e gente sendo assassinada, mas não há nada em sua produção que sugira isso", disse.

Mais conteúdo sobre:
Adolf Hitlerarte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.