Quadros de pintores famosos resgatados

As sete pinturas avaliadas em cerca de US$ 30 milhões de Cézanne, Soutine, Vlaminck e Utrillo, há quase 30 anos, foram resgatadas. As pinturas, parte da coleção da família Bakwin, foram roubadas em 1978 em Massachusetts e levadas para Mônaco. Agora, estão na casa de leilões Sotheby´s, em Londres, à espera de uma decisão judicial.O Art Loss Register (ALR), organismo criado em 1991 para rastrear os objetos de arte desaparecidos, tenta recuperar quatro das obras roubadas, confirmou hoje à EFE seu fundador, Julian Radcliffe. São dois quadros de Chaim Soutine, e outros dois de Maurice de Vlaminck e Maurice Utrillo.Outro quadro desaparecido, uma natureza morta de Paul Cézanne chamada Garrafa e fruta, foi devolvido ao proprietário, Michael Bakwin, depois de longas negociações feitas por Radcliffe.Ruth e Henry Bakwin, milionários da costa Leste americana, compraram as sete obras nos anos 20. Michael, seu filho, herdou as pinturas, que desapareceram de sua casa quando estava de férias. Em 1999, a ALR encontrou as pinturas na Rússia. Um acordo sem pagamento de resgate garantiu a devolução do Cézanne das mãos de uma sociedade panamenha chamada Erie International Trading Company, em troca da desistência, pelo proprietário, da posse das outras pinturas roubadas. Radcliffe impôs então, como condição, que a Erie declarasse oficialmente que não estava envolvida no roubo original nem tinha ligações com os criminosos.No início do ano passado, a companhia enviou os outros quadros para venda na Sotheby´s. O Art Loss Register argumentou que o acordo firmado antes não tinha validade legal. Na quinta-feira, devia ter acontecido o julgamento, no Alto Tribunal Britânico, para determinar a propriedade das pinturas, mas a companhia panamenha não compareceu nem enviou representantes.

Agencia Estado,

02 de fevereiro de 2006 | 13h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.