Quadros atribuídos a Rembrandt são verdadeiros

Dois quadros do Museu do Castelo Real da capital polonesa atribuídos a Rembrandt van Rijn são verdadeiros, confirmou hoje o especialista holandês Ernst van de Wetering, em entrevista coletiva, em Varsóvia.Após um estudo minucioso das obras, Wetering disse que se tratam dos quadros intitulados A Moça com Chapéu e O Sábio no Púlpito, datados em 1641 e pintados por Rembrandt (1606-1669) em sua oficina. As duas obras foram feitas sobre tábuas de madeira de álamo, material várias vezes usado pelo artista holandês.As pinturas, que surgiram em paralelo ao trabalho mais famoso do mestre, A Ronda Noturna, estão passando por trabalhos de conservação e restauração, e serão apresentadas depois em exposições em Amsterdã e Berlim, para retornar a Varsóvia no final deste ano.Até 1769, os dois quadros foram propriedade do Friedrich Paul von Kameke, e depois foram vendidos em 1777 pela filha do alemão, Elizabieta Henrietta Maria Golowkin, ao rei da Polônia, Estanislao Augusto Poniatowski. Após a morte do monarca, em 1798, as obras foram herdadas pelo príncipe Jozef Poniatowski e, em 1813, por sua irmã, Maria Teresa de Poniatowski Tyszkiewicz. Em 1815, foram compradas pelo nobre Kazimierz Rzewuski, que levou os quadros para Viena e, após sua morte, foram herdados por sua filha Ludwika, esposa de Antoni Jozef Lanckoronski. Em 1939, os dois quadros, junto com toda a coleção de obras de arte dos Lanckotonski, foram roubados pela Gestapo - a Polícia política nazista -, que os tirou de Viena em 1943.Antoni Lanckoronski recuperou sua coleção em 1947 e três anos depois depositou os quadros na caixa-forte de um banco suíço.Em 1994, a última representante da família Lanckoronski, Karolina, doou toda a coleção ao povo polonês.

Agencia Estado,

13 de fevereiro de 2006 | 16h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.