Reprodução
Reprodução

Quadro de Van Dyck anteriormente atribuído a Rubens será leiloado

Pintura foi mantida em posse de uma mesma família francesa durante mais de dois séculos

EFE

14 de junho de 2011 | 17h04

LONDRES (EFE) - Um retrato de um monge do pintor flamengo Anthony van Dyck, cuja autoria tinha sido atribuída anteriormente a Peter Paul Rubens, será leiloado pela Sotheby's de Londres no dia 6 de julho.

 

A obra, propriedade da mesma família francesa durante pelo menos 200 anos, tinha sido atribuída a Rubens, mas, segundo a Sotheby's, os especialistas advertiram que o traçado era mais característico de Van Dyck, que trabalhou para Rubens.

 

O quadro, que a casa de leilões espera vender por entre 600 mil e 800 mil libras (entre US$ 977 mil a US$ 1,3 milhão), faz parte das obras de uma família avaliadas pelo escritório da Sotheby's em Paris, segundo informou nesta segunda-feira a emissora britânica "BBC".

 

A Sotheby's afirmou que um grande número de acadêmicos acredita que o quadro tenha sido pintado por Van Dyck entre 1617 e 1620, quando ele trabalhava com Rubens.

 

George Gordon, da casa de leilões, disse à "BBC" que o quadro era uma "descoberta muito emocionante", "de uma qualidade realmente extraordinária e de uma força visceral". EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.