Reprodução
Reprodução

Quadro de Renoir vendido por US$ 7 serã exposto em Baltimore

Obra, que foi roubada e depois comprada em um mercado popular, voltará às mãos de museu

Mary Carole McCauley, The Baltimore Sun

09 de março de 2014 | 03h00

Uma pequena paisagem de Renoir com uma história digna de romance será exposta a partir do fim de março no Baltimore Museum of Art (BMA) – 62 anos, quatro meses e 14 dias depois dela ter sido vista publicamente pela última vez.

A mostra The Renoir Returns reunirá a pintura Paysage Bords de Seine, de 1879, com mais de 20 obras de arte da coleção da herdeira Saidie May de Baltimore, que legou todos seus bens ao museu após sua morte em 1951.

O quadro foi roubado há mais de 60 anos do museu e jamais recuperado pela polícia. Até que Martha Fuqua trouxe a obra à tona. Segundo ela, o quadro estava à venda em um mercado de pulgas na cidade – e ela o arrematou por US$ 7.

O museu entrou na justiça para reaver a pintura, mas Fuqua alegou que não sabia que se tratava de uma peça roubada – e que, por ter pago por ela, seria sua proprietária. Na semana passada, um juiz de Baltimore deu ganho de causa ao museu.

"Ficamos satisfeitos de receber esta adorável pintura de volta ao museu para reexibi-la ao povo de Baltimore e reuni-la às muitas obras-primas da coleção Saidie May", disse a diretora do museu, Doreen Bolger.

"Por estarmos comemorando o 100º aniversário do museu, estamos particularmente animados com a possibilidade de homenagear o legado de May como uma das doadoras mais generosas do BMA." A exposição ficará aberta até 20 de julho.

Entre os itens incluídos na exposição, está um pequeno esboço em óleo de Georges Seurat, que May comprou de uma galeria francesa no mesmo dia em que adquiriu a paisagem de Renoir. Estará também um autorretrato de Degas que o museu adquiriu com um acordo de seguro de US$ 2.500 que recebeu com o registro do desaparecimento do Renoir.

Tudo o que sabemos sobre:
VisuaisRenoir

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.