Cortesia da Sotheby's via AP
Cortesia da Sotheby's via AP

Quadro de Claude Monet é vendido por mais de US$ 110 milhões em NY

Considerada um marco do Impressionismo, ‘Meules’ estabeleceu um novo recorde para a obra do pintor francês e todo o movimento do século 19

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de maio de 2019 | 02h35

Nova York - A obra ‘Meules’, pintada por Claude Monet, em 1890, marcou um novo recorde do artista ao ser vendida por mais de US$ 110 milhões em um leilão realizado em Nova York. Considerada um dos ícones do Impressionismo, a peça foi avaliada em cerca de US$ 55 milhões, preço que foi superado poucos segundos depois de sair à venda na tarde de Arte Moderna e Impressionista da Sotheby's.

Após uma oferta que durou mais de oito minutos e foi disputada por seis licitantes, ‘Meules’ alcançou um preço de martelo de US$ 97 milhões, quantia que chegou a US$ 110,7 milhões - o dobro da estimativa - depois de adicionados os impostos e comissões.

O valor adquirido pelo quadro é equivalente a 44 vezes o preço que ele alcançou na última vez que foi a leilão, em 1986, e também marca um recorde para qualquer obra da corrente impressionista.

A pintura é uma dos poucas da série ‘Almiares’, de Monet, que foi colocada em leilão neste século e ainda pertence à propriedade privada - das 25 obras, 17 já estão em mãos de instituições públicas, como o Museu Metropolitano de Arte (Nova York), o Museu de Orsay (Paris) e o Instituto de Arte (Chicago).

‘Meules’ foi inicialmente adquirida pela família Palmer, de Chicago, que a comprou diretamente do representante de Monet, em 1890. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.