Público procura livros de Elfried Jelinek em Frankfurt

No estande na Feira de Livros de Frankfurt da editora alemã Rowohlt, que publica a obra da austríaca Elfried Jelinek, o anúncio de que ela havia sido premiada pelo Nobel foi comemorado com alguns gritos surpresos, uma champanhe encomendada às pressas e a busca apressada pelos livros da escritora. Mais ágeis foram os responsáveis pelo site da editora que, em poucos minutos, já exibiam não apenas fotos da autora como imagens da comemoração no estande. (Leia aqui: Escritora austríaca recebe o Nobel de Literatura)"Não posso esconder que tinha uma pequena esperança", comentou o gerente comercial da Rowohlt, Helmet Dahne, justificando em seguida: "O nome dela foi aceito na lista do ano passado, portanto já apresentava alguma chance." Já os editores brasileiros presentes à feira, observaram com bons olhos a premiação. "Ela é uma escritora de fortes posições políticas, especialmente contra o poder mais conservador radical", disse Angel Bojadsen, da Estação Liberdade. Luciana Villas-Boas, da editora Record, lembrou da texto fluente da autora austríaca. "Finalmente, depois de escritores donos de uma escrita mais densa, a academia sueca lembrou-se de alguém com uma prosa mais fácil e fluente", comentou ela, que já vinha negociando os direitos de publicação da obra de Elfried no Brasil.

Agencia Estado,

07 de outubro de 2004 | 19h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.