Projeto traça panorama do teatro brasileiro

Um grupo de 320 alunos de 7.ª e 8.ªséries do supletivo de quatro escolas municipais situadas nosbairros de Campo Belo, Parque Bristol, Jardim Cabuçu e JardimLuís ocupou, na noite de terça-feira, a platéia do Teatro JoãoCaetano na estréia de Caiu o Ministério, um dos quatroespetáculos criados especialmente para atender o projeto deformação de público, iniciativa da Secretaria Municipal deCultura de SP.Sob curadoria de Gianni Ratto, o projeto consiste namontagem de quatro peças de autores nacionais escolhidas deforma a traçar um panorama do teatro brasileiro. Cada uma delasserá apresentada, em sessão dupla, de terça a sextaespecialmente para um público previamente cadastrado, seja pormeio de escolas, sindicatos ou outras associações.A boa notícia é que, nos fins de semana, metade dabilheteria do teatro estará disponível para o público em geral."Houve uma grande solicitação de famílias de alunosinteressadas em ver as peças", argumenta o diretor doDepartamento Municipal de Teatro, Celso Frateschi, um dosidealizadores do projeto. Mas quem estiver interessado devecadastrar-se com antecedência por telefone. A procura já é bemgrande. Grande parte dos alunos que estava na terça à noite noteatro já fazia planos para voltar com a família no fim desemana."Vou voltar e trazer meu filho de 9 anos", disse ozelador Gerson Bezerra dos Santos, de 35 anos, morador doBrooklin, aluno da 7.ª série do supletivo na Escola MunicipalChiquinha Rodrigues que assistia pela primeira vez a uma peça deteatro. "O espetáculo foi além das minhas expectativas e o queeles mostraram no palco representa o que acontece hoje napolítica."A peça que ele havia visto, Caiu o Ministério, deFrança Júnior, escrita em 1882, mostra num estilo farsesco o Riode Janeiro no fim do século 19, com suas quedas de ministros edisputa de poder pelo cargo. A comédia Geração Trianonmostra o avesso de uma montagem teatral, os bastidores de umacompanhia típica das décadas de 20 e 30 do início do século 20,com seus grandes atores, textos escritos às pressas e muitaimprovisação.A terceira, Pedro Mico, de Antonio Callado, tem comopersonagem central um malandro dos morros cariocas na década de50. Nossa Vida em Família, de Vianinha, completa o ciclo como tema da desagregação de uma família, na década de 60, devidoàs dificuldades financeiras. Monitores visitam escolas eassociações, antes dos espetáculos, para sensibilizar osespectadores, uma vez que a ida ao teatro não é obrigatória."Deixei até de ir ao cinema, porque pelo que o ´homem´ falou lána sala achei que ia ser interessante. E foi mesmo ´da hora´.Quero ver as outras", disse Maria dos Santos, de 15 anos, alunada 7.ª série na Escola Municipal Frei Galvão, situada no bairrodo Campo Belo, onde ela também mora.Formação de Público. Projeto reúne quatroespetáculos selecionados por Gianni Ratto: Caiu o Ministério. DeFrança Júnior. Direção Ariela Goldman; Geração Trianon. De AnaMaria Nunes. Direção Marco Antônio Braz; Pedro Mico. De AntonioCallado. Direção Débora Dubois; Nossa Vida em Família. DeOduvaldo Viana Filho. Direção William Pereira. Para assistir aqualquer dos espetáculos, é necessário inscrever-se gratuita eantecipadamente pelo tel. 3253-2331, ramais 325 e 326. Sábado edomingo, às 16 e às 20 horas. Teatro João Caetano. Rua BorgesLagoa, 650, tel. 5573-3774. Até 16/12.

Agencia Estado,

20 de setembro de 2001 | 16h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.