Projeto publica HQs brasileiras

Publicar história em quadrinhos sempre foi um desafio para talentos desconhecidos no Brasil. Pensando em mudar o cenário, uma parceria entre a editora Escala e o estúdio Mercado Editorial criou o projeto Graphic Talents, pelo qual já foram lançados 12 títulos originais de autores brasileiros. Ao aceitar um projeto de revista, o Mercado Editorial realiza o projeto gráfico de um número zero, que ganha 30 mil exemplares impressos pela editora Escala e distribuição nacional. Os números zero custarão sempre R$ 1,50 nas bancas. Se a edição de uma revista vende entre 12 mil e 15 mil exemplares no mínimo, ela ganha mais três edições com 30 mil exemplares cada. Se for mantido o nível de vendas, a publicação torna-se um título regular da editora Escala. Até o momento, apenas um título ganhou as três edições além do número zero. É Mico Legal, o primeiro projeto realizado pelas regras do Graphic Talents. As demais revistas (saem duas por mês), tiveram vendas entre seis mil e dez mil exemplares. Carlos Mann e Dario Chaves, donos do estúdio Mercado Editorial e idealizadores do Graphic Talents, vêem na variedade dos títulos a grande marca do projeto. "Nós lançamos quadrinho underground, infantil, mangá, uma variedade que é a marca de um quadrinho autoral", dizem. "A maioria do autores que publica pelo Graphic Talents nunca havia publicado nada em escala industrial, apenas em fanzines", diz Dario Chaves. Atualmente recebendo uma média de 15 novos projetos por mês, ele não crê em fórmula para descobrir o gosto do público. "É sempre um tiro no escuro." A função do estúdio Mercado Editorial é preparar o formato final da revista e mandá-la para impressão na Escala. As revistas, que têm 13,5 cm por 19 cm e ficam 60 dias nas bancas, só recebem interferência de Dario e Carlos Mann na capa. De resto, ela sai como o autor a tiver concebido. Para Dario e Carlos, o Graphic Talents é sobretudo uma forma de testar o mercado de HQ no Brasil. Se uma revista ganha continuidade por suas boas vendas, as outras que não obtêm o mesmo sucesso ao menos "provam que existe espaço para explorar no mercado". Para Dario, o baixo preço de capa não é o único chamariz das revistas. "É uma soma do preço baixo com identificação do público com o personagem; se fosse só o preço, todas as revistas dariam certo", diz ele. Qualquer pessoa pode tentar publicar uma HQ pelo Graphic Talents. Para isso, o autor deve enviar ao estúdio Mercado Editorial um resumo de sua história com no máximo 40 linhas e pelo menos cinco páginas acabadas (com diálogos inclusive). As histórias publicadas através do Graphic Talents têm sempre 32 páginas de miolo. Os projetos devem ser enviados para a caixa postal 16.381, São Paulo, CEP 02512-010. Para mais informações, o Mercado Editorial recebe mensagens no e-mail graphictalents@operagraphica.com.br.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.