Projeto leva estudantes de SP ao teatro

A Secretaria Estadual de Educaçãode São Paulo acaba de lançar o Projeto Jovem Protagonista, quelevará 240 mil alunos do ensino médio público estadual - capitale interior - para assistir de graça a 24 peças selecionadas poruma comissão de seis integrantes. A secretaria comprou 4 milingressos (no valor de R$ 7) de cada uma das 15 peças que serãoapresentadas para escolas da capital e 20 mil ingressos, pagandoo valor de R$ 3 por ingresso para cada um dos nove espetáculosque vão excursionar por cidades do interior. Projeto de inegável importância pedagógica na forma comoarticula cultura e educação, a experiência corre o risco dediluir-se numa simples programa para "gazetear" aula. Por isso para o aprimoramento do programa, seus idealizadores planejaramuma série de iniciativas. "A primeira delas será a confecção deum manual de apoio, elaborado por professores, para cada uma daspeças", afirma o secretário estadual adjunto de Educação,Hubert Alqueres. "Os artistas foram os primeiros a pedir que oprojeto não se reduzisse a uma simples ida ao teatro." A secretaria criará ainda um site que poderá seracessado pelo endereço www.educacao.sp.gov.br. "Esse site vaitrazer não só um conteúdo mais completo sobre as peças, mastambém dicas de trabalhos pedagógicos desenvolvidos porespecialistas", diz Alqueres. "Uma peça como A Comédia doTrabalho, da Cia. do Latão, por exemplo, permite um estudoamplo sobre a evolução das relações trabalhistas ao longo dahistória. E o texto propicia ainda um estudo muito interessantede linguagem na aula de português ou literatura." Da mesma forma, um espetáculo como Novas Diretrizespara Tempos de Paz, de Bosco Brasil, pode render uma excelenteaula de história. "Com a guerra no Afeganistão, há um interessepelo tema, que pode ser melhor debatido a partir da montagem."Alqueres chama atenção ainda para o tema da violência urbana ejuvenil, explorado na peça Suburbia. "Um dos primeiroscritérios de escolha foi verificar o potencial pedagógico das 65montagens inscritas para o projeto. O segundo foi a criatividade porque era importante que os alunos percebessem que o teatropode ser um exercício de linguagem. Outra vertente foi composta por autores clássicos, com os quaisos alunos devem ter contato, como Shakespeare." Hubert Alqueres ressalta ainda que cada escola poderáescolher, por meio do site, a montagem para a qual vai levarseus alunos. "Se uma escola tem 400 ingressos disponíveis, elapode escolher, por exemplo, levar cem alunos para quatro peçasdiferentes. E isso será aproveitado para uma troca deimpressões." Outro importante desdobramento do Projeto Protagonistadeve ser o estímulo à formação de grupos de teatro nas escolas."Também no site, alunos e professores poderão encontrar umasérie de dicas para a realização de um espetáculo. Vamos tambémcriar links com outros sites que tragam textos teatrais ehistória do teatro, entre outras informações sobre o produçãobrasileira e mundial." A continuidade, sempre rara em programascomo esse, também é preocupação da secretaria. "Queremos abriruma nova edição já em agosto."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.