Projeto Guri faz campanha para programa de bolsas

Com o slogan "a música que não sai da sua cabeça", Projeto Guri, programa sociocultural do Governo de São Paulo administrado em conjunto pela Associação Amigos do Projeto Guri (AAPG), criou uma campanha online direcionada a seus ex-alunos. O objetivo é divulgar seu programa de bolsas de estudo, cujas inscrições vão até 31 de março.

AE, Agência Estado

02 de março de 2011 | 17h23

O Projeto Guri, que diferentemente do programa Guri, atende a todo o Estado de São Paulo menos a capital e Região Metropolitana, vai oferecer bolsas de até R$ 45 mil por candidato, valor que deve ser destinado a despesas com cursos no Brasil ou no exterior. Para participar, os ex-alunos precisam estar na faixa etária de 16 a 22 anos.

Para divulgar as bolsas aos milhares de alunos que passaram pelo Guri nos últimos anos, o projeto optou por uma campanha online, com um dinâmico hotsite integrado a materiais offline e a ações desenvolvidas nas redes sociais, como promoções no twitter, jogos e um quiz no facebook, tudo sempre relacionado ao slogan "a música não sai da sua cabeça".

Segundo Monica Souza, gerente de comunicação da AAPG, gestora do programa, o objetivo da campanha é atrair este público para um site que retrate sua realidade e no qual ele identifique a linguagem e ferramentas que fazem parte do seu dia a dia na web. "Esses jovens vivem conectados, são exigentes e gostam de ousar na experimentação de novas tecnologias. A expectativa é de que tenhamos em média 100 inscrições de ex-guris, além de uma importante viralização da mensagem", diz, em entrevista à assessoria de imprensa do projeto.

Pelo hotsite - www.projetoguri.com.br/programadebolsas - os interessados podem fazer o download de wallpapers e emoticons, ouvir a rádio com programação selecionada pelos atuais bolsistas, informar-se sobre o processo de seleção, conhecer as histórias de outros bolsistas e se divertir com uma inovadora ferramenta de realidade aumentada (RA), que possibilita uma brincadeira com objetos em 3D.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.