Projeto 'Dramaturgias' homenageia a atriz Betty Faria

Ela vai lero texto da peça 'Shirley Valentine', de William Russell, em tradução e adaptação de Euclides Marinho

AE, Agencia Estado

24 de setembro de 2008 | 11h33

Betty Faria quer retomar o teatro que deixou para trás por causa da maternidade e do excesso de trabalhos na televisão. E faz isso hoje, às 19h30, no Centro Cultural Banco do Brasil (Rua Álvares Penteado, 112, tel.: 3113 3651), em São Paulo, com entrada gratuita. A atriz é a homenageada da vez do projeto Dramaturgias do CCBB - Homenagem aos Grandes Atores da Cena Nacional. No segundo semestre, sobem ao palco Paulo Betti, no dia 29 de outubro, e Christiane Torloni, em 26 de novembro. Os fãs de seu último trabalho na televisão, como a fiel secretária Bárbara do golpista milionário Marconi Ferraço, interpretado pelo ator Dalton Vigh, em sua primeira atuação como protagonista de uma novela das nove da Globo, Duas Caras. No pclao do CCBB, Betty Faria vai ler um  texto, escolhido a dedo pela atriz, que fala de uma mulher que um dia percebe que não viveu a vida. Trata-se de uma tradução e adaptação de Euclides Marinho para Shirley Valentine, de William Russell. "Pensei em familiares, pensei na minha mãe, em alguns homens. O texto fala de uma questão universal e estou louca para ver como o público vai reagir", fala a atriz. "Cortamos muito texto, só deixamos o essencial", conta Betty. Tudo para extrair dali o que há de melhor, na visão da artista. Sua idéia é apresentar a história sem descrevê-la demais, sem fugir ao foco.O enredo fala sobre uma esposa dedicada, que um dia percebe que está desperdiçando a vida no casamento. Então resolve viajar sozinha por duas semanas para a Grécia. "Ela sofre um drama semelhante ao da Catarina (Lilia Cabral) da novela A Favorita, guardadas as proporções, a falta de auto-estima." Betty Faria não apenas lê o texto, como participa do debate com o público que ocorre depois. As informações são do Jornal da Tarde.  

Tudo o que sabemos sobre:
teatroBetty Faria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.