Projeto do 'Anel' do Municipal de São Paulo é adiado

Na opinião do maestro, há outras óperas do repertório alemão que lhe parecem mais importantes neste momento

O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2013 | 02h16

Ao anunciar, na semana passada, a temporada de óperas do Teatro Municipal para 2014, o maestro John Neschling, novo diretor artístico da casa, não incluiu na lista Siegfried, título que completaria o projeto, iniciado na gestão anterior, de produção do primeiro Anel do teatro. Segundo ele, o projeto não está sendo cancelado, apenas adiado. Isso porque, na opinião do maestro, há outras óperas do repertório alemão que lhe parecem mais importantes neste momento para o desenvolvimento artístico dos corpos estáveis do Municipal: em 2014, ele fará Salomé, de Richard Strauss; e, em 2015, fala na possibilidade de encenar Tristão e Isolda, de Wagner.

A notícia foi recebida com surpresa por André Heller-Lopes, diretor responsável pela concepção cênica do ciclo. "É um assunto complicado e espinhoso", diz o diretor. "Mas a interrupção do Anel, com apenas uma ópera faltando, é incompreensível. Trata-se de um projeto de repercussão nacional e internacional para a cidade de São Paulo", acredita.

Segundo o diretor, no início do ano, Neschling havia dito que não faria sentido interromper um projeto como esse. Por isso, teria mantido O Ouro do Reno em 2013, Siegfried em 2014 e previsto a realização do ciclo completo em 2016, deixando 2015 para Tristão e Isolda.

As datas oferecidas pelo maestro, nos meses de março e abril, no entanto, batiam com o mesmo período em que é realizado o Festival Amazonas de Ópera, dirigido pelo maestro Luiz Fernando Malheiro - ele, portanto, não poderia estar à frente da orquestra no Municipal de São Paulo. "O tenor contratado para o papel de Siegfried, complicado e difícil de escalar, também só tinha datas em julho e agosto. Por isso, pedimos uma data alternativa, era só o que queríamos, uma opção. A resposta foi o adiamento para 2015, que agora percebo pelos jornais ser em verdade apenas uma possibilidade. "

Heller-Lopes diz acreditar ainda na possibilidade de o Municipal voltar atrás. "Teríamos o maior prazer em adaptar nossa agenda para incluir Siegfried na temporada de 2014 do teatro, como todos esperam." / J.L.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.