Projeto de Von Trier: filmes com mesmos personagens

A nova experiência de Lars von Trier: três diretores filmam, cada um, um roteiro usando os mesmos atores interpretando os mesmos personagens, na mesma locação.O primeiro dos filmes, Red Road, da britânica Andrea Arnold, sobre uma mulher escocesa atormentada pelo passado, estreou neste sábado no festival de Cannes. A inclusão de "Red Road" na competição de Cannes é uma grande honra para o primeiro longa-metragem da diretora.O filme gira em torno de Jackie (Kate Dickie), que opera câmeras de segurança em uma área de Glasgow, na Escócia. Em uma noite, ela flagra um homem (Tony Curran) que conhece - um ex-presidiário responsável por uma tragédia na família de Jackie. Ela então torna-se obcecada por ele.Este personagens e mais sete estarão presentes em outros dois filmes do projeto de Trier, chamado de "Advanced Party". Mas a semelhança entre os filmes deve parar por aí.Enquanto Red Road é um drama, os outros dois filmes serão comédias - uma delas romântica -, explicou Arnold. Apesar do projeto requerer que os diretores usem os mesmo personagens, cada um deles contará uma história diferente. "Eles terão perspectivas totalmente diferentes", disse Arnold.O projeto é uma seqüência do Dogma - uma série de regras elaboradas pelo dinamarquês von Trier em 1995, na tentativa de retirar a artificialidade das filmagens, proibindo uso de iluminação, edição de som e outros recursos do cinema. Nada pode ser usado além de uma câmera portátil.Arnold disse que o novo projeto trouxe os melhores aspectos do Dogma: elaborar regras e fazer com que diretores trabalhassem em conjunto. Os outros dois diretores são o dinamarquês Mikkel Norgaard e o britânico Morag McKinnon. Arnold disse que os três trabalharam juntos desde o começo.Red Road traz um raro olhar sobre o mundo da vigilância no Reino Unido, onde os circuitos de vigilância se espalharam nos anos 90, depois de ataques do IRA (Exército Republicano Irlandês) no distrito financeiro de Londres.O protagonista passa as noites na frente de monitores, observando pessoas que passam nas ruas e denunciando comportamentos suspeitos às autoridades. "Eu estou fascinada com as câmeras de vigilância há algum tempo e me perguntei: Quem está atrás das câmeras? Quem está observando?"

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.