Projeto de Lei para bancar a classe

Em 1996, logo depois de uma turnê europeia, Nelson Sargento foi acometido de febre. Era o início de um câncer, felizmente benigno. O tratamento, no entanto, prometia ser caro. Apesar de ter arcado com seus impostos a vida inteira, Nelson descobriu que não tinha direito de ser tratado pelo SUS. Para mudar a história, sua mulher Evonete ajudou a idealizar um projeto de lei para garantir uma espécie de aposentadoria especial e seguro desemprego não só ao marido, mas a toda uma categoria. A ideia é calcular o benefício de acordo com o número de vezes que uma música de determinado autor é gravada. "Cada show, cada disco, e mesmo nos royalties, sempre somos descontados. Cadê os benefícios?" O projeto está em análise na Câmara dos Deputados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.