Proibida publicidade com mulher como Jesus

A Igreja Católica da França conseguiu na Justiça a proibição de um cartaz publicitário que retrata Jesus Cristo como uma mulher. A ilustração do anúncio da grife de roupas Marithe et François Girbaud é inspirada no quadro A Santa Ceia, de Leonardo Da Vinci.O juiz francês que anunciou a decisão nesta quinta-feira afirmou que a peça era um "ato gratuito e agressivo de intrusão nas crenças mais íntimas das pessoas". A associação que representou a Igreja também ganhou na Justiça o direito ao reembolso de seus gastos processuais.Os designers de moda afirmam que estudam entrar com um recurso e que não tinham a intenção de ofender ninguém com a campanha. Os advogados de defesa disseram que a proibição da imagem é uma forma de censura. "A peça é uma fotografia com base num quadro, não na Bíblia", afirmou o advogado Bernard Cahen. "Não há nada ali que seja ofensivo à religião católica. Trata-se de uma maneira de mostrar o lugar da mulher na sociedade de hoje, um reflexo da mudança em nossos valores."O cartaz já havia sido proibido em Milão no mês passado. O órgão que regulamenta a propaganda na Itália afirmou que a utilização no anúncio de símbolos cristãos como uma pomba e um cálice poderia ofender parte da população. A Igreja Católica apresentou argumentos semelhantes contra os cartazes na França. "Quando você torna trivial as bases fundamentais de uma religião, quando toca em coisas sagradas, cria uma violência moral insuportável que é um perigo para nossas crianças", disse o advogado Thierry Massis. "Amanhã, Jesus Cristo na cruz estará vendendo meias."

Agencia Estado,

11 de março de 2005 | 16h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.