Programa que promete criar machões estréia hoje

Na série Straight Plan for the Gay Man, que estréia hoje no canal pago GNT, quatro heterossexuais tentam converter três gays que desejam ingressar no universo dos machões, submetendo-se a uma mudança radical em suas rotinas. Trata-se de uma paródia do programa exibido aos domingos pelo canal Sony, Queer Eye for the Straight Guy, em que um candidato é transformado num metrossexual por cinco homossexuais, que dão dicas variadas desde beleza e estilo à culinária. A paródia inverte a perspectiva, mas não muda nenhum dos três gays, que continuam irredutíveis. Conclusão: é mais fácil convencer um mastodonte a usar cremes que um gay a deixar de usá-los. Na série, os quatro amigos machões ensinam suas vítimas a falar grosso, andar como caubói e atirar como Clint Eastwood. O primeiro deve trabalhar num frigorífico. O segundo, participar de um jogo de basquete. Finalmente, o terceiro recebe a missão mais difícil: conquistar uma mulher. É o que se sai melhor. Se o espectador não levar a sério a violência que representa a conversão de uma pessoa - seja ela religiosa ou sexual -, poderá até dar boas risadas. Os quatro machões insistem na mesma piada: ao final de cada episódio, os que conviveram por algum tempo com as cobaias desse jogo são estimulados a apontar quem entre eles é gay. De modo geral, são os machões que acabam escolhidos. Não é preciso ser muito esperto para saber que virilidade nada tem a ver com machismo. Para o quarteto doutrinador, ser macho é tomar cerveja, dar porrada quando o time perde, contar piada pesada, jamais ler um livro, usar roupa brega e morar num apartamento em que a geladeira mais parece a Sibéria. Ser gay é gostar de Bette Davis, roupas excêntricas, bichinhos de lalique e gatos de verdade. Nada mais estúpido.Straight Plan for the Gay Man - GNT, hoje às 19h30, com reapresentação à meia-noite, e mais dois programas nos dias 2 e 9/11, sempre no mesmo horário.

Agencia Estado,

26 de outubro de 2004 | 11h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.